O cineasta Alfonso Cuarón fez história na celebração do Oscar, ao se tornar o primeiro diretor mexicano a ser premiado na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. Roma, dirigido e escrito por Cuarón, também venceu na categoria de Fotografia, além do próprio Cuarón ganhar a estatueta de Melhor Diretor.

Oscar 2019 | Verne Troyer, de Harry Potter e Austin Powers, é ignorado no In Memoriam

Na Cidade do México, centenas de pessoas se reuniram nas ruas para assistir a cerimônia, em um evento batizado de “Romafest”. O clima de festa tomou as ruas da capital mexicana após a transmissão das categorias Melhor Fotografia, Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Diretor.


A vitória de Roma também foi muito comentada nas redes sociais mexicanas. Muitos internautas se espantaram com a vitória de Green Book: O Guia na categoria de Melhor Filme, na qual Roma também concorria.

O filme fez muito sucesso no México por sua representação fiel da cultura do país e de problemas estruturais como racismo e intolerância. Roma contou com a primeira indicação de uma atriz com descendência indígena-mexicana para o Oscar de Melhor Atriz. Yalitza Aparicio foi indicada para a categoria, mas perdeu para Olivia Colman (A Favorita.

Gael García Bernal, que trabalhou com Cuarón no filme E Sua Mãe Também, parabenizou o diretor nas redes sociais, e celebrou o diálogo sobre o racismo no México incentivado pelo filme.

Ambientada no México, Roma gira em torno de uma jovem trabalhadora doméstica, Cleo (Yalitza Aparicio), que trabalha para uma família de classe média. Cercada pelos seus colegas de trabalho, família e filhos, Cleo luta para encontrar a felicidade em um ambiente de amor e solidariedade dentro de sua comunidade, tudo enquanto enfrenta os problemas da hierarquia social e os preconceitos sofridos pela sua classe.

Roma foi dirigido, roteirizado e produzido por Alfonso Cuarón. O mexicano também assina a direção de fotografia e divide o crédito de montagem.

Roma está disponível no catálogo da Netflix.