Josh Trank continua levando na esportiva a traumática experiência de seu reboot do Quarteto Fantástico, um dos filmes de super-heróis mais fracassados dos últimos tempos.

Em seu perfil oficial do Twitter, o diretor escreveu uma reflexão sobre o fracasso, que o levou a se redescobrir como cineasta.

“Fracasso foi um presente. Ele me forçou a andar por um caminho honesto, e estou bem mais feliz agora do que antes. Eu tenho um filme no final deste ano, estrelado por Tom Hardy, chamado FONZO, que eu escrevi, dirigi e montei.


“Nós nos divertimos muito fazendo e é meu melhor trabalho como cineasta. Quando você perde o conforto e o calor do sucesso e não tem mais ofertas no seu caminho, não tem cachê para colaborar com escritores estabelecidos, você fica só com as histórias no seu coração; as desafiadoras e desconfortáveis que você ignora, e precisa escrever sozinho. É uma benção”, escreveu Trank.

Confira abaixo.

O Quarteto Fantástico de Josh Trank veio repleto de problemas desde o início de sua produção. De supostas brigas do diretor com Miles Teller, ao comportamento estranho de Trank no set de filmagens, a produção do filme foi uma sequência de erros.

O longa ganhou o Framboesa de Ouro de Pior Filme em 2015, e desde então, os atores e equipe de produção de Quarteto Fantástico se juntaram ao coro de vozes que nunca parou de criticar a obra.

Trank chegou a reclamar muito das modificações feitas por altos executivos do estúdio que produziu o filme, afirmando que sua visão foi comprometida, e que ele nunca conseguiu produzir o filme que gostaria.

Atualmente, Josh Trank trabalha em Fonzo, um filme sobre Al Capone.