Alejandro González Iñárritu é o mais novo cineasta a atacar a Netflix. Durante conferência de imprensa no festival de Cannes, o diretor defendeu a experiência cinematográfica contra os avanços da companhia de streaming.

“Realmente acredito que assistir não é o mesmo que ver um filme”, disse o diretor. “Assistir é algo. Ver é outra coisa. Ver não é experimentar. Cinema nasceu para ser experimentado como uma experiência coletiva”.

“Não tenho nada contra assistir em um telefone, no iPad, em um computador”, continuou o diretor de Birdman. “Mas sei que assistir um filme lá não é a mesma coisa… a Netflix está fazendo um ótimo trabalho. É ótimo que eles existam na televisão. Por que não dar a chance das pessoas experimentarem o cinema?”.


Obviamente a popularidade do streaming ameaça o mercado arcaico e ultrapassado do cinema tradicional, cujo modelo de negócios se torna cada vez menos sustentável. O que é necessário é que pessoas como Iñárritu parem de atacar a Netflix, a Amazon, ou seja lá qual for a companhia, e passem a investir em formas de atrair mais público para o cinema tradicional.

O cinema precisa evoluir, caso contrário se tornará uma mera relíquia.