Só no último mês, nós nos despedimos de Sansa Stark e Capitão América. Daenerys Targaryen e Tony Stark. Game of Thrones exibiu seu último episódio, e no MCU, Vingadores: Ultimato marcou o fim da Fase 3 da franquia e o adeus de vários heróis.

A diferença é que o final de Vingadores: Ultimato conseguiu amarrar todas as tramas de maneira satisfatória e épica, e o de Game of Thrones acabou desagradando grande parte dos fãs e crítica especializada.

O desfecho de Vingadores: Ultimato

Vingadores: Ultimato concluiu uma saga de 22 filmes e mais de uma década, que envolveu inúmeros atores, diretores, produtores e equipe. Mesmo com fãs reclamando de alguns aspectos do filme (especialmente o final do Capitão América), Ultimato foi recebido extremamente bem pelo público e representou um final satisfatório para a saga dos Vingadores.


As histórias dos homens e mulheres do MCU culminaram em uma batalha final massiva, após o eletrizante “Assalto no Tempo”. A própria batalha foi um dos momentos mais emocionantes do filme, contando com várias cenas icônicas. Entre elas, vale lembrar a do Capitão América empunhando o Mjolnir e a volta dos heróis caídos

Em 2008, quanto o primeiro filme do Homem de Ferro foi lançado, não havia garantia do sucesso. O MCU foi uma aposta de risco para a Marvel, mas acabou crescendo exponencialmente com o lançamento de cada filme.

O final de Game of Thrones

Assim como o MCU, quando Game of Thrones foi lançada, não havia garantias de seu sucesso. A HBO apostou alto na série, e com o tempo, ela acabou conquistando o mundo com suas reviravoltas impressionantes e ótima combinação de diálogos extremamente bem escritos e cenas de ação chocantes.

A última temporada da série, no entanto, foi extremamente criticada. O último episódio conseguiu o feito de não agradar a maioria dos fãs, mesmo garantido recordes de audiência para a HBO.

No episódio final de Game of Thrones, Jon Snow mata Daenerys em uma cena extremamente anti-climática. Bran se torna o Rei dos Seis Reinos (já que o Norte se separou e passou a ser governado por Sansa – um desfecho ótimo para a personagem), em uma reviravolta decepcionante.

O grande problema da temporada final de Game of Thrones foi a insistência dos showrunners David Benioff e D.B. Weiss de acelerar vários eventos da série e deixar inúmeros pontos focais da história sem serem resolvidos.

A decisão de priorizar o choque e o espetáculo de computação gráfica ao invés do desenvolvimento de personagens e enredo (que era praticamente a base da série), acabou prejudicando muito o desfecho da história.

O Trono de Ferro

“O Trono de Ferro”, episódio final de Game of Thrones contou com alguns momentos tocantes e satisfatórios, como a coroação de Sansa como Rainha do Norte e o desfecho do arco de Brienne, que se tornou a Lorde Comandante da Guarda Real. Mas no geral, o final da trama foi decepcionante, principalmente quando comparado aos tempos áureos da série.

Várias partes importantes da trama foram deixadas fora do ar. Não conseguimos ver (de maneira completa) a lenta descida à loucura de Daenerys, o que poderia ter sido um arco rico e impressionante, quanto para a personagem quanto para Emilia Clarke.

Bran ter se tornado Rei também não correspondeu a expectativas. O personagem pouco fez nas oito temporada da série, e sua coroação no final parece forçada e não condiz com toda a trama do Corvo de Três Olhos. Sem falar com o fato da história de Arya ter basicamente terminado com a morte do Rei da Noite.

Caso tivesse continuado com o estilo das primeiras temporadas, a série teria passado mais tempo desenvolvendo todos esses enredos e personagens, e o final poderia ter sido bem melhor.

O grande problema é o reflexo do final para o legado da série. Muitos não vai mais se lembrar de Game of Thrones como uma série de personagens complexos e bem desenvolvidos (como Cersei Lannister), mas como apenas mais um final ruim na história da televisão.

As lições

Expectativas obviamente desempenham um grande papel em determinar se algo tem uma conclusão satisfatória ou não. É impossível agradar a todos. Mas quando se compara a conclusão proposta pela Marvel e Kevin Feige com o final morno de Game of Thrones, fica claro que venceu essa grande batalha da cultura pop.

Tanto o MCU quanto Game of Thrones tiveram que encerrar suas tramas em um período limitado de tempo. Mesmo assim, no final das contas, apenas um dos dois respeitou os fãs e conseguiu providenciar um desfecho emocionante e condizente com a história.

Game of Thrones não se tornou uma série ruim por causa de seu final. As temporadas anteriores entraram para a história da TV como produtos culturais extremamente importante. No entanto, final pouco satisfatório acaba amargando uma experiência tão positiva.