Muito antes da estreia de Vingadores: Ultimato os fãs já especulavam sobre a morte do Capitão América. O filme sempre foi tratado como o encerramento de uma etapa da franquia e o ator Chris Evans já havia dito que esse seria seu último filme interpretando o personagem, o que levantou diversos rumores sobre a morte dele.

No fim das contas o final de Steve Rogers (Chris Evans) foi bem diferente do esperado e o personagem não morreu. Rogers na verdade decide voltar ao passado para viver o resto de sua vida com Peggy Carter, deixando o legado do Capitão América para seu amigo Sam Wilson.

Em entrevista ao Empire Podcast, os Irmãos Russo, diretores de Vingadores: Ultimato, explicaram o motivo pelo qual decidiram manter Steve Rogers vivo.


“Quando você mata um personagem amado [Tony Stark] você tem que deixar alguma esperança no filme de certa forma e o único que poderia gerar esse sentimento era o outro personagem principal [Steve Rogers]. Se tivéssemos matado os dois protagonistas, as pessoas iriam querer se matar depois do filme. Nossa intenção não é destruir as pessoas, é contar uma história de maneira complexa que faz com que eles sintam emoções variadas”, explicou Joe Russo.

Vingadores: Ultimato segue em exibição nos cinemas brasileiros.