Na fila de obras da cultura pop que chegam ao fim neste ano, a franquia X-Men da Fox é o próximo, com o vindouro lançamento de X-Men: Fênix Negra.

Em entrevista para o ComicBook, o diretor e roteirista Simon Kinberg espera que seu filme seja marcante como desfecho, comparando-o com Vingadores: Ultimato e até o final de Game of Thrones.

“Eu abordei esse filme como a culminação de 20 anos de narrativa, de viver com os X-Men todo esse tempo e assistir essa família se formar; e esse filme desafiou essa família e os separa de uma forma inédita”, explica Kinberg.


“E eu também imaginei como uma culminação, e até vendi assim para o estúdio, já que essa é a culminação das histórias dos X-Men. E sem dúvida haverão mais filmes de X-Men no futuro, mas esse ciclo em particular com esse elenco, parece que era hora de fazer o que Game of Thrones fez, o que Vingadores: Ultimato fez, e pareceu desafiar isso em uma nova forma e de encerrar tudo ao pôr-do-sol”, reflete.

Fênix Negra “não é memorável”, dizem primeiras críticas

Os críticos de cinema já puderam conferir o encerramento da saga dos mutantes com X-Men: Fênix Negra. Com isso, as primeiras reações começam a chegar nas redes sociais. 

Os analistas estão divididos com o filme dos mutantes. Enquanto criticam a história, elogiam atuações de atores como Michael Fassbender, o Magneto.

Crítica | X-Men: Fênix Negra

Confira as primeiras reações:

X-Men: Fênix Negra é uma conclusão desapontante da saga X-Men. Tem alguns melhores momentos, como o Magneto de Michael Fassbender, sequências de ação legais e a trilha sonora de Hans Zimmer, mas falta uma essência emocionante e definitivamente sofreu com as regravações”, declarou Brandon Davis, do ComicBook. 

“É um pouco melhor do que era temido, enquanto ainda não é memorável em praticamente todas as formas. A franquia merecia um final melhor. A verdade é que X-Men 3: O Confronto Final é um filme melhor”, disse Scott Mendelson, da Forbes. 

“Apesar dos problemas de produção, X-Men: Fênix Negra ganha o seu lugar de direito na franquia. Com uma história de alguma forma mais episódica, contém momentos bonitos de personagens – graças a um elenco comprometido – e atuação engajada. A trilha sonora de Zimmer é a arma secreta”, observou o jornalista Thor Diakow. 

“Muitos filmes dos X-Men são os meus favoritos, X-Men: Fênix Negra não está entre eles. Parece que a franquia é colocada em algum mistério e não em um encerramento poderoso. Irregular, tedioso e por vezes barato, uma incrível decepção”, criticou Simon Thompson, da Forbes e IGN. 

X-Men: Fênix Negra é aproveitável de algumas formas, mas em sua maioria é chato e sem sentido. A era dos X-Men acaba com uma completa choradeira. Fassbender parecia o único que queria estar lá. Sinta-se livre em pular”, disse a página Foodmancing. 

“Isso é tudo que eu preciso dizer”, publicou Dan Casey, do Nerdist, com uma imagem de uma expressão que mostra indiferença pelo filme. 

“Minha crítica é que X-Men: Apocalypse foi ao menos engraçado”, apontou Vinnie Mancuso, do Collider. 

X-Men: Fênix Negra gira em torno de um dos personagens mais amados dos X-Men, Jean Grey, enquanto ela evolui para a icônica Fênix Negra. Durante uma missão de resgate no espaço com risco de vida, Jean é atingida por uma força cósmica que a transforma em um dos mais poderosos mutantes. Lutando com esse poder cada vez mais instável, e também com seus próprios demônios, Jean fica fora de controle, dividindo a família X-Men e ameaçando destruir a própria estrutura do nosso planeta.

O elenco de X-Men: Fênix Negra conta com os retornos de Sophie Turner, James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult, Alexandra Shipp, Tye Sheridan, Evan Peters e Kodi Smit-McPhee. Jessica Chastain vive a vilã do filme.

X-Men: Fênix Negra chega nesta quinta, 6 de junho, nos cinemas brasileiros.

Veja um teaser: