O roteirista Max Landis (Poder Sem Limites, Bright) recebeu uma série de novas acusações de assédio sexual e moral nesta terça-feira (18).

Em um extenso artigo divulgado pelo The Daily Beast, oito mulheres que se identificaram como ex-namoradas e colegas do roteirista reportaram um comportamento perturbador por parte do roteirista – filho do cineasta John Landis.

“Ele tinha ciência de que não diríamos nada, trabalhou fortemente para desacreditar as pessoas que diziam coisas, e era tão consistente nos abusos como era em acobertar e manipular todas. Eu não percebi que estava sendo estuprada consistentemente e deliberadamente por esse homem por dois anos até hoje, quando escrevi”, diz uma das ex-namoradas de Landis no artigo.


O relato ainda descreve o comportamento de Landis como sádico. De acordo com uma das ex-namoradas, Landis afirmava que vê-la chorar “o excitava”, e todas as relações sexuais do casal eram marcadas por discussões, agressões e humilhações por parte do roteirista, que alegava sofrer de um distúrbio bipolar.

O artigo completo com todas as acusações e relatos pode ser encontrado no The Daily Beast, aqui.

Max Landis não tem um filme lançado comercialmente desde Bright, em 2017, ano em que a primeira acusação contra o roteirista surgiu. Ele desenvolve um remake de Um Lobisomem Americano em Londres e o filme de ação Deeper.