Três semanas depois do lançamento de Toy Story 4, o grupo conhecido como One Million Moms (Um Milhão de Mães) decidiu fazer uma reclamação pública sobre a animação da Disney e Pixar. O motivo de um pedido de boicote é por conta de uma cena do filme.

O grupo conservador publicou uma carta por causa da cena que mostra uma das colegas de Bonnie sendo deixada na escola por suas duas mães. O One Million Moms não gostou que a animação fez uma referência à personagens LGBTQ+.

“Alguns elogiam ‘como um momento de normalização’, o qual 1MM considera perigoso. Não foi mencionado na mídia mainstream, o que pode parecer uma aceitação quando acontece de maneira rápida. Mas, a cena foi incluída e de forma proposital não foi anunciada para mostrar para o maior número de crianças. Muitas famílias possivelmente planejam ver o filme, se já não viram, e podem não perceber essa sútil, mas óbvia promoção do estilo de vida LGBTQ”, afirma a carta.


O casal aparece novamente quando busca a colega de Bonnie na escola. O grupo conservador insistiu em reclamar sobre o momento:

“A cena é sútil para dessensibilizar as crianças. Mas é óbvio que a criança tem duas mães e elas estão a criando juntas”, reitera o One Million Moms.

Não é a primeira vez que o grupo se posiciona contra a comunidade LGBTQ+. Antes, atacou as Meninas Superpoderosas e o desenho Steven Universo, que também mostraram e apoiaram a representatividade.

O pedido de boicote não afetará o grande desempenho que Toy Story 4 tem. Ao redor do mundo, o filme já conta com mais de US$ 662 milhões arrecadados.

Toy Story 4 segue em exibição nos cinemas.