Vingadores: Ultimato apresenta a teoria do multiverso e mostra que é algo que os heróis devem evitar ao pegarem as Joias do Infinito do passado. De qualquer forma, o filme, de fato, não entra em realidades alternativas.

Para o ComicBook, os roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely explicaram que existe uma razão para o filme não entrar nesse campo. Abriria a possibilidade para que fãs demandassem uma nova Viúva Negra e um novo Homem de Ferro, mortos no longa.

“Aqui pode ser onde eu discordo da Marvel sobre onde eles estão indo. Eu não tenho ideia do que Kevin Feige, o presidente da Marvel, está pensando. Mas, eu acredito em parâmetros. Se você disser que eu posso ter outro Tony e outra Natasha, talvez minha vó diga, ‘Por que eu não assisto a isso?’, e ainda assim estamos treinando o público de novo toda a vez. Eu posso estar errado, mas daqui dois anos as pessoas vão dizer, ‘Eu quero várias histórias de pessoas que eu perdi’. Particularmente, em um filme, quando estamos indo para o final estamos também em direção a saída de pessoas. Se você pensar, ‘Eu posso ter 75 Tonys ou 75 bilhões de Tonys lá fora’, seu drama vai sofrer, seus parâmetros serão menores. Agora essas regras podem ou não ser verdadeiras, mas para concretizar o que é mostrado, você tem que dançar com a música”, declarou Markus.


Resta saber se a Marvel, em algum momento, tentará entrar mesmo no Multiverso.

A versão digital de Vingadores: Ultimato chega em 30 de julho. O filme ganha o DVD e Blu-ray em 13 de agosto.