Antes mesmo de estrear, o público americano está preocupadíssimo com o filme de origem do Coringa, temendo que a obra incite comportamentos violentos na população (artigo sobre isso em breve).

Em entrevista para o The Wrap, o diretor Todd Phillips novamente defendeu o filme com Joaquin Phoenix, falando com todas as letras que a intenção do longa da DC não é glorificar violência.

“Não fizemos esse filme pra incitar nada. Eu literalmente descrevi para o Joaquin em certo ponto, ‘Olha, veja esse filme como a oportunidade de passar um filme de verdade no sistema de estúdio disfarçado de quadrinho’. Não foi para glorificar esse comportamento. Foi literalmente para ‘fazer um filme de verdade com orçamento e chamar de Coringa’. Foi isso”, diz Phillips.


O filme do Coringa, da DC, tem Joaquin Phoenix como protagonista e ainda Zazie Beetz (Atlanta), Robert De Niro, Bill Camp (Operação Red Sparrow, A Grande Jogada), Frances Conroy (American Horror Story, Castle Rock), Brett Cullen (42, Narcos), Glenn Fleshler (Billions, Barry), Douglas Hodge (Operação Red Sparrow, Penny Dreadful), Marc Maron (Maron, GLOW), Josh Pais (Motherless Brooklyn, Going in Style), e Shea Whigham (O Primeiro Homem, Kong: A Ilha da Caveira).

Phillips também assina o roteiro ao lado de Scott Silver (O Vencedor). A produção ainda conta com o astro Bradley Cooper.

Coringa chega em 3 de outubro no Brasil.