A Capitã Marvel de Brie Larson estreou de forma bem sucedida em seu filme solo no começo do ano, mas teve uma participação bem reduzida em Vingadores: Ultimato, que chegou alguns meses depois.

Em entrevista para a Vanity Fair, a dupla de roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely falou sobre essa decisão, e como não queriam que a heroína de Larson resolvesse os problemas de todo mundo.

“Ela sempre iria estar no filme, mas não tínhamos muito com o que trabalhar. Eles tinham escalado ela, só isso. É um equilíbrio difícil de se atingir quando você tem uma personagem tão poderosa, que você vai trazer, e não quer que as pessoas pensem, ‘Bem, só trouxemos essa pessoa para salvar o dia, e que não podíamos ter no anterior’. Então tivemos que decidir em um equilíbrio para não transformar em uma mera ponta, mas também não tê-la fazendo tanta coisa para resolver os problemas de todo mundo”, diz Markus.


“A questão do segundo filme era se despedir dos seis Vingadores originais, então as histórias deles seriam prioridade. Tivemos esse mesmo problema com o Pantera Negra em Guerra Infinita, porque as pessoas pensam, ‘Ah! Pantera Negra, ele volta daqui dois meses! Tudo bem, vamos ter muito Pantera Negra!’, e ele teve um pouco. Quero dizer, fomos para Wakanda, mas ele não era o principal personagem. Não seria justo com os outros seis Vingadores se a Capitã Marvel resolvesse tudo. Não é um bom história”, complementa McFeely.

Vingadores: Ultimato está disponível em mídias digitais, DVD e Blu-ray.