Homem-Aranha: Longe de Casa imitou a estratégia de Vingadores: Ultimato e teve um relançamento, com cenas inéditas. A estratégia para o longa do Peter Parker se mostrou um sucesso, assim como para o longa do grupo de heróis.

No último final de semana antes do relançamento, entre 23 e 25 de agosto, Homem-Aranha: Longe de Casa conseguiu US$ 1,6 milhão, ficando em 15° no período. Lembrando que a nova versão, por hora, só chegou nos Estados Unidos.

Quando o relançamento chegou em mais de 3 mil salas nos EUA, o ganho em três dias foi de US$ 4,3 milhões. Se contar também o final de semana com o feriado do Dia do Trabalhador, que chegou ao fim na segunda, 2, o filme chegou a um ganho de US$ 5,6 milhões arrecadados com a nova versão.


Ao mesmo tempo, Vingadores: Ultimato fez US$ 1,9 milhão no último final de semana antes do relançamento. Depois, apenas nos EUA, conseguiu US$ 6,1 milhões nos primeiros dias com a nova versão.

Os números são parecidos, o que indica que Homem-Aranha: Longe de Casa não fez feio com o relançamento. Além disso, o filme não visava quebrar algum recorde de bilheteria, como foi o caso de Vingadores: Ultimato, que conseguiu se tornar a maior arrecadação da história.

Em Homem-Aranha: Longe de Casa, Tom Holland retorna como Peter Parker. O elenco ainda conta com Zendaya, Marisa Tomei, Martin Starr, Jon Favreau, Jacob Batalon e Tony Revolori. O filme move a ação para férias escolares na Europa.

Samuel L. Jackson também participa como Nick Fury, assim como Cobie Smulders reprisa o papel de Maria Hill. Jake Gyllenhaal é o Mysterio. A direção é de Jon Watts.

O filme está em cartaz no Brasil, mas com a versão original.