Antes mesmo de estrear nos cinemas, o filme de origem do Coringa já está causando polêmica pelas acusações de “ser uma obra perigosa”, visto que coloca um vilão em evidência.

A situação chegou ao ponto de a Warner Bros soltar uma declaração para a imprensa nesta terça-feira (24), certificando que o longa estrelado por Joaquin Phoenix não é uma obra que apoia a violência.

“Nem o personagem fictício ou o filme apoiam qualquer tipo de violência no mundo real. Não é a intenção do filme, dos cineastas ou do estúdio mostrar esse personagem com um herói”, diz a declaração.


O filme do Coringa, da DC, tem ainda Zazie Beetz (Atlanta), Robert De Niro, Bill Camp (Operação Red Sparrow, A Grande Jogada), Frances Conroy (American Horror Story, Castle Rock), Brett Cullen (42, Narcos), Glenn Fleshler (Billions, Barry), Douglas Hodge (Operação Red Sparrow, Penny Dreadful), Marc Maron (Maron, GLOW), Josh Pais (Motherless Brooklyn, Going in Style), e Shea Whigham (O Primeiro Homem, Kong: A Ilha da Caveira).

Todd Phillips (Se Beber, Não Case!) dirige o filme e também assina o roteiro ao lado de Scott Silver (O Vencedor). A produção ainda conta com o astro Bradley Cooper.

Coringa estreia nos cinemas brasileiros em 3 de outubro.