O assessor do presidente Jair Bolsonaro para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, se utilizou do Twitter neste domingo (6) para atacar Coringa, dirigido por Todd Phillips.

Revelando suas impressões sobre o novo longa-metragem, Martins chamou Coringa de “ressentimento esquerdista” e o criticou ainda por mostrar um mundo “sem Deus”.

“Assisti Joker. É uma demonstração do que a anomia social e o ressentimento esquerdista podem fazer com uma mente perturbada; um retrato desesperador das consequências do mundo sem Deus, sem propósito, sem transcendência e sem redenção que a geração de maio de 1968 tentou criar”, escreveu em uma postagem.


Assim que recebeu críticas, o assessor de Bolsonaro amenizou: “O filme é muito bem feito da perspectiva artística e a atuação do Joaquin Phoenix é genial, mas o desconforto e a agonia que ele causa no telespectador lembram o incômodo e a aflição causados pelos filmes niilistas do Harmony Korine.”

Coringa está em cartaz nos cinemas.