A franquia Kingsman voltará para o passado com King’s Man: A Origem, que contará os primeiros dias da agência de espionagem, contando com um vasto contexto histórico e muita ação.

Em entrevista para a Entertainment Weekly, o diretor Matthew Vaughn falou sobre a escala do filme, comparando-o com grandes clássicos do cinema americano.

“Eu queria matar essa vontade que eu tinha há tempos de fazer um filme como os grandes épicos de aventura com qual cresci. Havia Lawrence na Arábia, O Homem que Queria Ser Rei, Doutor Jivago. A última vez que eu vi um filme assim, ironicamente, foi com Ralph Fiennes em O Paciente Inglês, onde a tela era vasta e você ia mesmo em uma aventura”, diz Vaughn.


“Fazer um filme como esse nesse tipo de escala não é fácil de se obter dinheiro, então eu pensei que se estivesse no universo Kingsman, Hollywood não teria tanto medo. Você precisa enganar esses caras para fazer filmes bons!”, brinca o diretor.

“Enquanto que alguns dos piores tiranos e criminosos da História se juntam para planejar uma guerra a fim de acabar com milhões, um homem deve correr contra o tempo para impedí-los. Descubra as origens da primeira agência de inteligência independente em The King’s Man: A Origem”, diz a sinopse oficial.

O estrelado elenco de King’s Man: A Origem conta com nomes como Aaron Taylor-Johnson (Vingadores: A Era de Ultron), Gemma Arterton (Fúria de Titãs), Ralph Fiennes (Harry Potter), Charles Dance (Game of Thrones) e outros.

A direção de King’s Man: A Origem é de Matthew Vaughn.

King’s Man: A Origem estreia em 13 de fevereiro de 2020.