Cuidado! Contém SPOILERS de O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio!

Arnold Schwarzenegger viveu diferentes versões do T-800 ao longo de três décadas na franquia de O Exterminador do Futuro. No entanto, o sexto longa traz a versão mais diferente.

Em O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, o T-800 é humanizado, domesticado e passa a se chamar Carl. É algo inédito para franquia.


Em O Exterminador do Futuro (1984), o personagem do título é apresentado como um assassino frio. Nada podia pará-lo. Aquele era apenas o primeiro de uma longa linhagem de máquinas terríveis.

A mudança inédita acontece com algo inimaginável para franquia. O começo de O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio tem uma reviravolta polêmica.

John Connor (‎Edward Furlong) é morto ao lado de sua mãe, Sarah (Linda Hamilton) por um Exterminador enviado ao passado. Após completar a missão, essa máquina tem uma estranha jornada.

O T-800 decide ficar em 1991, já que não tem mais o que fazer, ainda mais com a Skynet não existindo por conta dos eventos de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991). Assim, a máquina encontra uma casa no Texas, onde salva uma mulher e um bebê de um homem abusivo.

Carl, então, até abre o próprio negócio, adota um cachorro e conquista o próprio lar. O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio traz um Exterminador diferente de qualquer outro – o personagem de Schwarzenegger tem paz.

Ao conhecer o significado de família e amor, Carl sabe a dor que fez Sarah passar. É por isso que ele dá um propósito para ela, enviando mensagens de onde encontrar outros exterminadores enviados ao passado.

No longa, o novo personagem de Schwarzenegger até salva Dani (Natalia Reyes), a nova heroína, de Rev-9 (Gabriel Luna). A ironia é que o destino de Carl termina como o de outras máquinas, mas esse personagem, ao menos, teve uma vida bem diferente.

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio está em exibição nos cinemas.