Diretor de Star Wars: A Ascensão Skywalker, J.J. Abrams revelou que foi “encorajador” ver a Marvel encerrando vários filmes e histórias em Vingadores: Ultimato. A conclusão de uma saga de 11 anos e 22 filmes, Vingadores: Ultimato encerrou o primeiro capítulo do MCU, de propriedade da Disney, enquanto preparava o cenário para o seu futuro.

Da mesma forma, Abrams foi encarregado de terminar não apenas a trilogia de Star Wars da Disney, mas a saga episódica de nove filmes, e o cineasta enxergou Vingadores: Ultimato como “um lembrete de que isso poderia ser feito”.

“Eu pensei que eles fizeram um trabalho brilhante, e era o mesmo, mas era diferente. E foi encorajador ver que algo poderia ser terminado dessa maneira”, disse Abrams a Simon Mayo, da BBC 5.


“Mas, obviamente, era diferente o suficiente para ser mais um tipo de inspiração e um lembrete de que isso poderia ser feito, do que outra coisa.”

Inspiração? Nem tanto

A experiência de voltar e revisitar os oito primeiros filmes de Star Wars foi “mais assustadora do que assistir Vingadores: Ultimato”, acrescentou Abrams, em parte por causa das criações de George Lucas.

“George Lucas fez parecer fácil, mas não é. Assistir a esses filmes foi algo humilhante. Star Wars é como uma religião para algumas pessoas, então como escolher os temas, tópicos e personagens para continuar? Foi tão inspirador quanto intimidador.”

Questionado se era mais difícil iniciar uma nova trilogia com O Despertar da Força ou terminar uma trilogia com A Ascensão Skywalker, Abrams respondeu: “Foi definitivamente mais difícil desta vez, principalmente porque estava encerrando não três filmes, mas nove.”

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em cartaz nos cinemas.