O final alternativo de O Exterminador do Futuro: O Julgamento Final teria encerrado a franquia de uma maneira muito diferente, e talvez evitado os fracassos seguintes.

Na trama, depois de sobreviver a um ataque de um Exterminador uma década antes, Sarah Connor teve que proteger seu filho John de outro Exterminador, e impedir que a Skynet fosse criada. Quando o filme termina, o público é levado a acreditar que a história terminou e o Dia do Julgamento foi evitado.

Mas, isso não estava perto da verdade. O sucesso dos dois longas significou que seria apenas uma questão de tempo até que mais fossem feitos. Foram realizadas três sequências sem o envolvimento direto de Cameron, cada uma tentando estender a história de John ou Sarah, mas todos eles fracassaram.


Cameron retornou em Destino Sombrio, que trouxe uma trama completamente nova para a franquia – mas também fracassou.

Nada disso, no entanto, aconteceria se o final alternativo de O Exterminador do Futuro 2 tivesse sido utilizado.

O final original

No final original, Sarah descobre que os restos do robô do primeiro filme são a razão do desenvolvimento da Skynet pela Cyberdyne, e decide destruir tudo.

Só que isso, na verdade, como descobrimos no terceiro filme, não impediu o fim do mundo, apenas atrasou O Julgamento Final.

O final alternativo

No final alternativo, Sarah Connor confirma que O Julgamento Final nunca aconteceu. 30 anos depois, Sarah reflete sobre sua reação a esse dia enquanto está sentada no parque gravando uma mensagem.

Ela, já velha, está assistindo um John adulto, que se tornou senador dos EUA neste futuro feliz, brincar com sua filha.

Esse final teria terminado o o filme com uma mentalidade mais otimista, e poderia também ter encerrado franquia como a conhecemos, sem a necessidade de mais desenvolvimento da história dos Connors em projetos seguintes.

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio está em exibição nos cinemas, e conta com os retornos de Arnold Schwarzenegger como T-800 e de Linda Hamilton como Sarah Connor.