O co-escritor de Star Wars: A Ascensão Skywalker, Chris Terrio, revelou o ponto da trama do episódio anterior de Rian Johnson, Os Últimos Jedi, que tornou as coisas “complicadas” ao encerrar a trilogia.

Em Star Wars: A Ascensão Skywalker, é revelado que Palpatine (Ian McDiarmid), vencido há muito tempo, foi o marionetista por trás de Snoke (Andy Serkis), o misterioso Supremo Líder da Primeira Ordem e que de repente foi morto pelo aprendiz Kylo Ren (Adam Driver).

Sem um grande vilão, e sabendo que Kylo Ren se tornaria aliado dos mocinhos, os roteiristas de Star Wars: A Ascensão Skywalker acharam que seria necessário trazer o retorno de Palpatine.


“As produtoras Kathy Kennedy e Michelle Rejwan tinham um plano claro para onde queriam que as coisas terminassem”, disse Terrio ao Awards Daily.

“Elas tinham planos claros sobre certas marcas narrativas que queriam que atingíssemos. Elas também nos deram muita liberdade dentro disso.”

A equipe criativa sabia que Ren e Rey “eram absolutamente essenciais para essa trilogia”, acrescentou Terrio, “mas também sentimos que não havia como não encontrarmos um caminho de redenção para Kylo Ren, o filho de Han e Leia.”

Ele continuou: “Sentimos isso desde o começo, quando J.J. estabeleceu Kylo Ren no Episódio 7, houve uma guerra dentro dele e ele foi corrompido por algo maior que ele e fez más escolhas ao longo do caminho. J.J. e eu sentíamos que precisávamos encontrar uma maneira pela qual ele pudesse ser resgatado, e isso fica complicado no final do Episódio 8, porque Snoke se foi. O maior vilão da galáxia naquele momento aparentemente era Kylo Ren.”

Mudança não planejada

Ao que parece, o novo Líder Supremo em conflito foi submetido a anos de manipulação secreta por Palpatine, que ainda existia por meios que alguns consideram antinaturais.

“Precisava haver um antagonista contra o qual os mocinhos pudessem lutar, e foi quando realmente tentamos descobrir quem havia sido a grande fonte do mal por trás de tudo isso por tanto tempo. Foi quando realmente começamos a perseguir agressivamente essa ideia de que existe um mal antigo que não morreu”, disse Terrio.

“A fonte do mal na galáxia é esse espírito sombrio esperando sua vingança e aguardando seu tempo. A entidade conhecida como Palpatine nesta versão – seu corpo morreu em O Retorno de Jedi – é paciente e está esperando. Ele cavou seu buraco de raposa e estava esperando sua chance de restabelecer seu domínio total.”

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em cartaz nos cinemas.