Cuidado! Spoilers de Star Wars: A Ascensão Skywalker.

Star Wars: A Ascensão Skywalker encontrou um jeito de trazer Leia Organa de volta, mesmo após a morte da atriz Carrie Fisher, que nos deixou em 2016.

Muitos fãs ficaram confusos com o retorno da personagem, mas o ScreenRant explicou tudo sobre a tecnologia que trouxe Carrie Fisher de volta em Star Wars: A Ascensão Skywalker.


Todas as cenas de Leia em Star Wars: A Ascensão Skywalker são cenas recicladas de O Despertar da Força (2015), que acabaram não sendo utilizadas no corte final do longa.

Com isso, a produção do novo filme utilizou CGI para editar essas cenas, encaixando-as na trama de Star Wars: A Ascensão Skywalker.

De acordo com Todd, irmão de Carrie Fisher, oito minutos de cenas de O Despertar da Força foram utilizadas neste filme. Cenas de Os Últimos Jedi (2017) também foram utilizadas, mas não se sabe a quantidade dessas.

Utilizando cenas antigas, a produção do filme alterou detalhes da personagem, como o cabelo e roupas, justamente para encaixar nas cenas de Star Wars: A Ascensão Skywalker. Outro recurso utilizado foram os dublês de corpo, especialmente nas cenas em que Leia aparece como um fantasma da Força – e na cena em que ela aparece jovem.

A cena em que Leia aparece jovem lutando com Luke, em especial, foi feita usando a mesma tecnologia de Rogue One (2016), que também mostrou uma jovem Carrie Fisher feita por CGI.

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em exibição nos cinemas brasileiros.