O Universo Cinematográfico Marvel é conhecido por ser consistente com a qualidade de seus filmes, e é por isso que Vingadores: Era de Ultron Ultron se destaca, e não por boas razões.

A primeira aventura dos Vingadores reunidos, sob o comando da direção de Joss Whedon, foi um sucesso, e por isso era natural que o segundo filme da equipe fosse muito esperado. Infelizmente, acabou sendo uma decepção.

Era de Ultron é o elo mais fraco não apenas na saga dos Vingadores, mas também no MCU como um todo. É difícil identificar exatamente onde, quando ou o que fez o filme falhar, pois há uma combinação de vários fatores.


Alta expectativa

Os Vingadores uniu a equipe e provou que, por mais diferentes que fossem esses personagens, eles realmente funcionavam bem juntos.

Teria sido especialmente mais fácil para Vingadores: Era de Ultron, pois Joss Whedon estava de volta como roteirista e diretor, e todos esperavam o maior sucesso da Marvel até então.

Financeiramente, Era de Ultron se saiu muito bem e se tornou um dos filmes de maior bilheteria de 2015, mas não foi o mesmo sucesso com críticos e fãs.

A maioria achou que a trama esquecível, especialmente o vilão, e que faltava a ação e a emoção do primeiro filme.

Problemas de bastidores

Os problemas de Vingadores: Era de Ultron começaram nos bastidores entre Joss Whedon e Marvel. Whedon estava fortemente envolvido na fase 2 do MCU e, uma vez que seu contrato com a Marvel terminou, ele falou muito sobre sua experiência.

A liberdade criativa de Whedon no filme foi limitada pelo estúdio, explicando que ele estava em conflito com editores e executivos.

Além de tudo isso, Whedon queria incluir dois novos personagens: Capitã Marvel e Homem-Aranha, o que não era possível, pois ainda não haviam escalado Carol Danvers e não havia acordo com a Sony.

O diretor disse que trabalhar para a Marvel o “quebrou” e até deixou as mídias sociais depois que o Era de Ultron falhou em cumprir seu antecessor.

Tramas erradas

Em termos de história, Era de Ultron deu errado em muitos aspectos. O filme estava mais preocupado em estabelecer o futuro do MCU – com a visão de Thor sobre as Joias do Infinito (que pareciam forçadas e fora de lugar) e os ataques de Ultron em Sokovia, que levariam aos Acordos de Sokovia em Capitão América: Guerra Civil – do que em construir uma sequência.

Ultron não era o vilão ameaçador que ele deveria ser, e o romance repentino entre a Viúva Negra e o Hulk foi um dos pontos mais criticados, pois o que havia sido construído em torno dela foi desperdiçado com isso.

A relação romântica forçada entre os dois foi tão ruim que os filmes seguintes esqueceram completamente. Como mencionado acima, Era de Ultron tinha tudo preparado e pronto para ser um sucesso, mas Whedon, por sua vez, decidiu “ir mais fundo” e falhou.

Vilão esquecível

Ultron é um dos vilões mais esquecíveis do MCU, e só foi usado para que o estúdio pudesse fazer a Guerra Civil acontecer, pois eles precisavam de um motivo para criar os acordos que quebrariam a equipe.

Ele não se sentiu uma ameaça genuína, a ponto de o que os heróis (especialmente Tony) deveriam aprender com ele, e essa experiência foi rapidamente esquecida (exemplo: Tony criou outra IA invasora e deu a Peter Parker em Homem-Aranha: Longe de Casa).

O próximo filme da Marvel a chegar nos cinemas é Viúva Negra, que estreia em 30 de abril de 2020.