Fazer um incrível trabalho em um papel tão importante como o Coringa tem vários lados positivos, é claro, como o sucesso com o público e até um Globo de Ouro de Melhor Ator.

No entanto, toda a repercussão em torno do projeto também pode ser cansativa em alguns momentos, e tem sido para Joaquin Phoenix.

Durante o tapete vermelho no Globo de Ouro, o astro foi questionado, mais uma vez, sobre seu processo para se tornar o personagem.


Cansado de perguntas

Cansado de perguntas quase sempre repetidas, ele foi bem sincero em sua resposta à imprensa:

“Isso não é novidade? Sinto que converso sobre isso há seis meses. Quero dizer, sinto que respondi a essas perguntas. Você quer ouvir uma versão diferente? Devo tentar mudar um pouco ou o que devo fazer?”

Por respeito aos jornalistas, Phoenix tentou responder à pergunta de maneira diferente do que vem falando há meses, mas voltou a reiterar seu ponto de vista:

“Foi um processo longo. Acho que a maneira como trabalhei nisso foi bastante irregular. Não a ataquei linearmente. Acho que fiquei mais curioso com os medicamentos que ele estava tomando e os efeitos desses medicamentos.

Isso nos levou a perceber que tínhamos que ter essa flutuação selvagem de peso. Então isso era algo que eu acho que não era esperado até que eu entendi a medicação e os efeitos do que ele estava tomando. Então foi o começo.

Eu li vários livros sobre assassinos clínicos que compartilham um tipo de personalidade semelhante ao que eu finalmente defini Arthur. Eu não vou dizer o que eles são porque acho que essas pessoas têm atenção suficiente, então eu prefiro não mencioná-las pelo nome.

Provavelmente existem tantas outras coisas que não consigo me lembrar agora. Mas sinto que já respondi a essa pergunta seis meses atrás.”

Coringa chega ao Brasil em Blu-Ray e DVD no dia 21 deste mês.