Um homem de St. Louis, acusado de ameaças de bombardear e matar pessoas em um movimentado distrito de entretenimento, vestido como o vilão do Batman, o Coringa, foi acusado de terrorismo, de acordo com o New York Times.

Jeremy Garnier, de 48 anos, de University City, foi acusado na terça-feira (3) de ter cometido um crime de ameaça terrorista. Um juiz ordenou que Garnier permanecesse preso, com documentos do tribunal notando que ele era um “perigo para a comunidade”.

Os registros do tribunal não listam um advogado que possa falar em seu nome. Os documentos não indicam se ele estava na posse de explosivos ou estava armado.


A polícia respondeu na segunda-feira (2) à noite ao restaurante e clube de música Blueberry Hill, no bairro Delmar Loop, em University City, depois de receber uma ligação sobre um atirador ativo, de acordo com um documento. As acusações dizem que Garnier fez ameaças enquanto estava vestido como o Coringa.

Uma transmissão ao vivo de quase uma hora postada na conta do Facebook de Jeremy Joseph Garnier mostra um homem vestido como o Coringa, com maquiagem, conversando com a câmera em um quarto onde ele está vestindo uma fantasia. Mais tarde, ele é visto dirigindo seu carro, fumando um cachimbo e indo para o shopping St. Louis Galleria, em Richmond Heights, onde foi parado pela segurança, que pediu para que ele saísse.

Ameaça de terrorismo

O vídeo mostra-o falando sobre o fim da epidemia de opioides do país antes de ele entrar no local onde pede um refrigerante, dizendo: “Não posso me embriagar quando estou planejando, você sabe, matar um monte de pessoas.”

Em questão de minutos, o homem foi algemado com a transmissão ao vivo ainda rolando.

Garnier tem oito condenações por roubo e furto desde 1990.