ALERTA DE SPOILERS

A Parte 4 de La Casa de Papel está disponível na Netflix e isso fez com que muitos fãs devorassem de maneira muito rápida os novos episódios. Uma consequência disso é a saudade que os espectadores sentem do elenco.

Para amenizar isso, a Netflix tem outras produções que trazem os famosos rostos. Uma delas é o suspense O Silêncio do Pântano.

O longa disponível na Netflix chamou atenção primeiro por ser estrelado por Pedro Alonso, o Berlim de La Casa de Papel. Depois, o longa começou a mexer com a cabeça dos espectadores.


O Silêncio do Pântano segue a história de um escritor que decide seguir os casos de corrupção em Valência, na Espanha. Os ricos e aqueles que têm poder tentarão fazer de tudo para que ninguém descubra os podres deles.

Cercado por mistérios e acontecimentos sombrios, o que chama atenção em O Silêncio do Pântano é que há uma mistura do que é real no universo do filme da Netflix e o que pode ser uma fértil imaginação.

Com essa trama, o final é de tirar o fôlego. Entenda abaixo o desfecho de O Silêncio do Pântano, da Netflix.

O final de O Silêncio do Pântano

No filme da Netflix, Pedro Alonso vive um escritor chamado simplesmente de Q. Com dois livros de sucesso, o personagem passa a se atentar ao que acontece em Valência.

Em um rio da cidade, corpos começam a aparecer. As mortes parecem ser feitas em algum tipo de ritual antigo.

A complicação é que Q tenta desvendar esses mistérios ao mesmo tempo que lê um livro dele. Com isso, o final pode ter um sentido duplo.

Q inicia a história apresentando o Professor Carretero, um professor e figura política que ensina economia e ajuda os corruptos da cidade. Desde que o escritor começa narrando a obra dele, que é ficção, não se sabe se ele vai ou não atrás de Carretero.

Tudo aponta que sim e é o que acontece. Q sequestra Carretero e o faz de refém. Por dias, o escritor arranca verdades do homem e começa a escrever – para o possível próximo livro.

Com o sumiço, os corruptos da cidade começam a se preocupar. Entre eles, a traficante La Puri. Ela investiu muito dinheiro em um esquema de lavagem de dinheiro.

Todos acham que Carretero fugiu depois que foi acusado na TV de casos de corrupção. La Puri coloca o capanga Falconetti investigar – ao mesmo tempo que uma política chamada Isabel, também envolvida nos crimes, procura pelo refém de Q.

Sem ninguém saber, Q segue a investigação própria em O Silêncio do Pântano. O escritor encontra documentos que ligam La Puri, Isabel e o assistente da política, Vincent. Dois policiais, chamados de Ricardo e Muñoz, também estão envolvidos.

Ao mesmo tempo, Falconetti começa a chegar mais perto de Q. O escritor deixou pistas do sequestro.

O capanga acha marcas da moto e descobre que um homem chamado Nacho é o dono dela. Para Falconetti, não importa saber a verdade. Ele encontra e mata Nacho, que é simplesmente o irmão de Q.

A situação fica mais complicada. La Puri descobre que Nacho era um simples trabalhador. Ela confronta Isabel sobre o que aconteceu, mas a política não quer parar pelo erro da traficante.

A política assume a frente e acoberta a morte de Nacho. Não apenas isso, manda prender a traficante de Valência.

Ao mesmo tempo, Falconetti encontra Q. O escritor mata o capanga e depois vai para fora de casa, onde um funcionário de La Puri, assustado, está esperando.

Q carrega a arma, mas depois a larga. O escritor, então, vai para o pântano. Lá, esse funcionário aparece com uma arma atrás de Q.

A câmera corta para o pântano e um tiro é ouvido. Os pássaros voam. A próxima cena é Q terminando o livro no computador dele.

Ele imprime o trabalho e deixa o apartamento. É, possivelmente, o último livro dele.

O final pode ter duas explicações: a primeira é que tudo é uma história de Q, que ele passou narrando para o espectador. A segunda é que o escritor está morto, mas deixou o trabalho pronto caso algo saísse dos planos.

Se O Silêncio do Pântano ganhar uma continuação, possivelmente a verdade seja revelada.

O Silêncio do Pântano está disponível na Netflix.