Filme de Will Smith tem surpreendente semelhança com pandemia atual

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A pandemia do coronavírus (COVID-19) está bem longe de ser um apocalipse zumbi ou até de transformar pessoas em vampiros. Mas, o cenário possui uma grande conexão com Eu Sou a Lenda.

O filme de 2007 conta a comovente história de um cientista que fica sozinho em Nova York após um vírus transformar as pessoas em vampiros. O longa é estrelado por Will Smith.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na trama apocalíptica, apenas 12 milhões de pessoas ficam vivas no mundo inteiro. O personagem de Will Smith passa a sobreviver para pesquisar sobre o vírus.

Mais de 10 anos depois do lançamento, Eu Sou a Lenda está voltando a ganhar destaque por causa da pandemia do coronavírus.

Coronavírus e Eu Sou a Lenda

O Screen Rant notou uma triste semelhança entre o filme e a vida real. Muitas pessoas estão se sentindo como Robert Neville, o personagem de Eu Sou a Lenda.

O que chama atenção no filme é mostrar o cientista vivendo sozinho, tendo apenas a companhia do cachorro dele e manequins em uma cidade devastada. Esse é o sentimento de muitas pessoas na pandemia.

A proporção pode não ser a mesma, mas pessoas estão em isolamento, muitas vezes afastadas da família para evitar o contágio do coronavírus. Com isso, a conexão está no sentimento da solidão.

Outro paralelo é que, como o personagem de Will Smith, há pessoas de serviços essenciais trabalhando no meio da pandemia. Entre elas, os profissionais de saúde, os entregadores, motoristas e policiais.

Eu Sou a Lenda está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio