Matt Damon estrela o filme de ação A Grande Muralha, e assim que sua escalação para o papel principal foi anunciada, muitas críticas foram direcionadas à produção.

Em entrevista para a Associated Press, Damon disse que pensou que a controvérsia em torno do elenco iria morrer “uma vez que as pessoas vissem a grandiosidade do filme”.

Ator se defende

“É uma fantasia histórica e eu não roubei o papel de nenhum ator chinês”, acrescentou Matt Damon. “Não foi alterado por minha causa.”


Damon também disse à publicação que ele vê o “embranquecimento” como referência ao processo de um ator branco usar maquiagem, a fim de retratar um personagem de uma raça diferente.

O astro chinês Andy Lau e Jing Tian completam o elenco de A Grande Muralha, ao lado de Damon, Pedro Pascal e Willem Dafoe.

A fantasia acompanha um grupo de soldados britânicos que se depara com o início das construções da Grande Muralha da China. Aos poucos, eles percebem que o objetivo não é apenas proteger a população dos mongóis, mas sim de uma ameaça muito mais sinistra.

O chinês Yimou Zhang (Flores do Oriente, O Clã das Adagas Voadoras) dirigiu A Grande Muralha, originalmente lançado em 2017.

Diretor defende Matt Damon

Após o lançamento de A Grande Muralha, várias vozes da comunidade asiático-americana protestaram contra a escalação de Matt Damon em um papel que deveria ser chinês.

O lendário diretor chinês do filme também se pronunciou sobre a polêmica, defendendo a escalação de Damon.

“Em muitos sentidos, A Grande Muralha é exatamente o contrário do que estão dizendo. Pela primeira vez, um filme com raízes profundas na cultura chinesa, com um dos maiores elencos chineses já reunidos, está sendo produzido em uma escala internacional por um grande estúdio”, disse Yimou em declaração oficial. “Eu acho que isso é uma tendência que precisa ser celebrada. Nosso filme não é sobre a construção da Muralha da China, e Matt Damon não está interpretando um personagem chinês”.

“Há cinco grandes heróis na nossa história, e Matt Damon é um deles – os outros quatro são todos chineses. O sacrifício e força coletivas desses heróis são o coração do nosso filme. Como diretor de mais de 20 filmes chineses e das Olimpíadas de Beijing, eu não escalaria, e nunca vou escalar um filme de forma contrária a minha visão artística por exigência dos estúdios. Eu espero que, quando todos virem o filme e estiverem armados com fatos, concordem comigo”, concluiu.