Por conta de uma indefinição do futuro, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas decidiu fazer mudanças nas regras do Oscar 2021. Tudo acontece por causa do coronavírus (COVID-19).

O conselho, formado por 54 pessoas, decidiu que filmes exibidos apenas no streaming podem concorrer ao Oscar 2021. Porém, a regra é temporária.

Cinemas do mundo inteiro, incluindo dos Estados Unidos, estão fechados por conta da pandemia. Até então, não há previsão para uma reabertura.


Antes, para concorrer ao prêmio, um filme precisava ser exibido por pelo menos 7 dias em Los Angeles (EUA).

Além dessa mudança, que chama bastante atenção, a Academia também unificou uma categoria para o Oscar 2021. Mixagem de Som e Edição de Som serão agora simplesmente Melhor Som.

Oscar foge de polêmica

Há uma grande polêmica em Hollywood por causa das plataformas de streaming. Nem todo mundo aprova o formato que se popularizou com a Netflix, que lança projetos diretamente na internet.

Por conta da polêmica, festivais, como o de Cannes, já chegaram até a banir filmes da Netflix, por exemplo. Muitos defendem que os longas devem passar pela telona antes de chegar ao serviço.

O Oscar 2021 procurou fugir da polêmica inicialmente. A academia deixou claro que a nova regra será retirada a partir do momento que os cinemas conseguirem reabrir.

“Em uma data a ser determinada pela Academia, e quando os cinemas reabrirem de acordo com as regras e critérios federais, estaduais e locais, essa exceção à regra não será mais válida. Todos os filmes lançados depois deverão estar de acordo com as exigências padrão de qualificação cinematográfica”, afirma o comunicado.

Em outro trecho, a organização do Oscar ainda afirma que “acredita que não há maneira mais mágica de apreciar um filme do que no cinema. Nosso compromisso com isso é imutável e inabalável”.

O Oscar 2021 deve acontecer em fevereiro do próximo ano.