O escritor de De Volta para o Futuro 2, Bob Gale, revelou que pediu que a sequência editada da Netflix fosse destruída.

O escritor e o diretor Robert Zemeckis não faziam ideia de que havia outra versão, mas colocam a culpa na Universal.

Uma pequena parte da sequência de 1989 foi alterada – especificamente quando Marty encontra a revista Oh La La dentro da capa de poeira do almanaque esportivo – e os fãs ficaram irritados.


A capa da revista – que mostrava uma modelo de lingerie – foi editada, mas a versão padrão foi reposta.

Versão editada

Falando ao Hollywood Reporter, Bob explicou: “A culpa é da Universal, que de alguma forma forneceu à Netflix uma versão editada do filme.”

“Descobri sobre isso há 10 dias com um fã de olhos de águia e o estúdio corrigiu o erro. A versão agora em execução é a versão original, sem censura, sem edição.”

Ele continuou dizendo que era uma versão estrangeira que ele e Robert não estavam cientes, já que um país “teve um problema” com a capa da revista.

“Pedi que o estúdio destruísse esta versão”, continuou o homem de 68 anos. “Para sua informação, a Netflix não edita filmes – eles exibem apenas as versões que são fornecidas a eles. Então eles são inocentes.”

“Você pode direcionar sua ira para a Universal, mas acho que eles serão muito mais cuidadosos no futuro.”

No Brasil, De Volta para o Futuro está disponível no Amazon Prime Video.