Filmes de super-herói podem ser uma experiência bastante traumática para alguns cineastas.

Em entrevista com o Hollywood Reporter, Josh Trank falou sobre seu trabalho em Quarteto Fantástico, de 2015. O filme foi massacrado por crítica e público.

“Com certeza me senti amargo quando Quarteto Fantástico estreou. Foi uma amargura em relação a esse gênero”, contou.


Grande decepção

“Me senti amargo e excluído de um grupo de cineastas legais que fazem esses filmes de maneira bem-sucedida”, continuou. “Provavelmente me senti amargo com pessoas pelas quais tenho grande respeito, como James Gunn, que milagrosamente foi capaz de fazer de Guardiões da Galáxia um enorme sucesso de público, mas ao mesmo tempo, um filme muito pessoal. Me senti amargo por tudo isso.”

Quarteto Fantástico foi marcado por muita turbulência nos bastidores, com o diretor e os produtores brigando por controle criativo.

“O que eu tentei fazer com o Quarteto Fantástico foi arrogante”, disse. “Eu ainda não tinha controle de minhas próprias habilidades como diretor.”

Depois da compra da Fox pela Disney, o Quarteto Fantástico retornou ao Marvel Studios e terá um reboot.