A morte de Heath Ledger por overdose acidental foi um grande choque para todos, no começo de 2008.

O ator havia acabado de interpretar o Coringa em Batman: O Cavaleiro das Trevas, e nem mesmo pôde ver o seu trabalho em tela. Ao longo dos anos, surgiram diversas teorias de como o papel de vilão teria afetado o psicológico de Ledger.

Mas um documentário descarta todas essas especulações em torno do intérprete do Coringa.


O documentário se chama Heath Ledger: Too Young To Die. Envolve diversos membros da família do ator.

“Ele estava se divertindo. Ele não estava deprimido com o Coringa”, revelou a irmã do astro.

Preparação sinistra

No entanto, isso não quer dizer que ele não ficou desgastado com o papel. O documentário lembra que, meses antes de sua morte, Ledger deu uma entrevista ao New York Times dizendo que dormia apenas duas horas por dia em sua preparação para interpretar o Coringa.

Em 2007, ele também disse à Empire: “A minha preparação é uma combinação de ler todas as histórias em quadrinhos que eu pude que foram relevantes para o roteiro e depois fechar os olhos e meditar sobre o personagem. Fiquei sentado em um quarto de hotel em Londres por cerca de um mês, me tranquei, formei um pequeno diário e experimentei vozes – era importante tentar encontrar uma voz e uma risada um tanto icônicas.”

“Acabei aterrissando mais no reino de um psicopata – alguém com muito pouca ou nenhuma consciência em relação a seus atos”, continuou. “Ele é simplesmente um sociopata absoluto, um palhaço de sangue frio e assassinato em massa.”

Heath Ledger tinha um “diário de Coringa”, com anotações importantes para o estudo do personagem e um grande “bye bye” no final.

“Foi difícil ler isso”, disse Kim Ledger, pai de Heath, no documentário. “Ele encarnou o personagem. Isso era típico de Heath. Ele faria isso. Ele gostava de mergulhar em seus personagens, mas desta vez ele realmente aumentou isso um pouco.”

O diretor de Batman: O Cavaleiro das Trevas, Christopher Nolan, também ficou assustado com a preparação do ator.

“Ele estudava com bonecos de ventríloquo para encontrar a voz”, contou. “Embora eles o aterrorizassem.”

Batman: O Cavaleiro das Trevas chegou aos cinemas em 2008, arrecadando mais de US$ 1 bilhão em bilheteria e rendendo a Heath Ledger o Oscar póstumo de Melhor Ator Coadjuvante por seu papel como Coringa.