Em 2008, Robert Pattinson se tornou um ator mundialmente conhecido por seu papel como Edward Cullen em Crepúsculo, mas ele realmente odeia a saga.

O ator começou sua carreira com Harry Potter e o Cálice de Fogo. Sem conhecer muito sobre Crepúsculo, fez teste para viver o vampiro Edward anos depois, e acabou sendo o escolhido.

Foram cinco longas de Crepúsculo no total, e todos eles foram grandes sucessos de bilheteria, mas um fracasso com os críticos e várias outras pessoas que já não aguentavam mais aquela história de romance com vampiros, lobos e humanos.


Uma dessas pessoas era o próprio Robert Pattinson. Ao longo dos anos, o ator expressou seu descontentamento e zombou várias vezes da saga, inclusive quando ainda trabalhava nela.

Os motivos do desgosto

Pode-se dizer que várias questões levaram ao desgosto de Robert Pattinson por Crepúsculo.

Com a saga se tornando uma grande sensação com os adolescentes, os fãs e a imprensa ficaram obcecados pelos atores principais de Crepúsculo. É claro que isso teve grandes consequências em suas vidas.

Pattinson, por exemplo, era um cara tímido e com uma vida reservada, que de repente passou a ser perseguido por todos.

Em entrevista dada à Vanity Fair em 2011, o ator falou sobre a sua fama repentina. Ele sentia que sua relação com os fãs de Crepúsculo era bizarra, especialmente porque ele estava envolvido em uma franquia que nem gostava tanto.

“É muito estranho fazer parte de algo que você, pessoalmente, nem gosta”, admitiu. “Os fãs sentem que te conhecem mais do que as pessoas que realmente te conhecem.”

Para muitas pessoas, Crepúsculo era uma “vergonha alheia”, e Robert Pattinson sentia que ficar marcado por algo assim podia prejudicar os outros planos mais ambiciosos de sua carreira.

“É bizarro participar de algo tão específico. Ser famoso por algo assim te traz um salário melhor, mas também é praticamente o que todos os atores do mundo não querem”, contou em entrevista dada em 2011. “Tipo, ninguém acreditaria em mim se eu dissesse agora que quero interpretar algo mais realista, como um gângster ou coisa assim.”

Mas também existe algo mais simples por trás do fato de Robert Pattinson não gostar de Crepúsculo: assim como muitos críticos, o astro achava que certos elementos da história realmente não faziam sentido.

“Quando eu li o livro pela primeira vez, me pareceu algo que não deveria nem ter sido publicado”, comentou em 2008. “Stephenie Meyer [autora dos livros] disse que se inspirou em um sonho que teve, em que conhecia esse cara sexy, e aí começou a escrever. Eu fiquei tipo, ‘Essa mulher é doida.'”

Ele adicionou em uma entrevista posterior: “Muitas coisas naquele mundo não fazem sentido nenhum. É uma história muito estranha. Acho que se não tivesse feito sucesso, mais pessoas teriam visto como tudo é estranho.”

É justo dizer que Pattinson se esforçou bastante para apagar a imagem que adquiriu em Crepúsculo. O ator trabalhou com vários grandes diretores autorais ao longo dos últimos anos, e teve seu trabalho aclamado particularmente por longas como Bom Comportamento, High Life e O Farol.

O esforçou rendeu frutos para sua carreira: ele será uma das estrelas de Tenet, novo filme de Christopher Nolan (Batman: O Cavaleiro das Trevas, A Origem), e foi escolhido como o novo ator de Batman.

Com Robert Pattinson, The Batman chegará aos cinemas em outubro de 2021. A direção é de Matt Reeves, aclamado por seu trabalho na trilogia Planeta dos Macacos.