Hollywood está pensando em alternativas para voltar ao trabalho em um mundo onde não existe vacina para o coronavírus (COVID-19). Isso afeta diretamente as cenas com contato físico, como as de sexo.

O The Sun afirma que a indústria fará cenas de sexo com computação gráfica. A ideia é para diminuir o risco de contágio do coronavírus. Nesse mundo, 50 Tons de Cinza com certeza teria problemas para ser gravada.

O jornal garante que a recomendação é da Associação de Editores de Hollywood. O mesmo grupo fez ainda um manual de como os trabalhos devem funcionar nesse momento.


A sugestão é que todos funcionários de produções sejam testados diariamente para o coronavírus. Além disso, devem receber aulas de como lavar as mãos e de outras formas de prevenção.

Nos Estados Unidos, o governo da Califórnia permitiu que as gravações de filmes fossem retomadas. Com isso, as regras já devem começar a valer.

Sem contato em Hollywood

O governo da Califórnia ainda pediu que as produções, principalmente localizadas em Los Angeles, cortem ou reescrevam todas cenas que envolvam contato físico.

Enquanto isso, dentro do manual da Associação dos Editores, há um pedido para que toda equipe use máscaras e visores nos bastidores. Ao mesmo tempo, programas com auditório devem ser gravados sem público no momento.

Se um filme como 50 Tons de Cinza fosse gravado atualmente, a situação seria complicada – imagine as cenas quentes com computação gráfica, por exemplo. Apesar das recomendações, a situação deve ser temporária.

Vale lembrar que diversos países e a Organização Mundial da Saúde (OMS) trabalham em busca de uma vacina. Curiosamente, em Hollywood, essa vacina também pode significar a volta de cenas ao estilo 50 Tons de Cinza.

Os fãs que sentirem falta desses momentos podem ver a trilogia de 50 Tons de Cinza em plataformas digitais.