O clássico …E o Vento Levou, de 1939, virou alvo de polêmica nos Estados Unidos. De forma silenciosa, o longa tinha sido removido da HBO Max.

O Screen Rant logo notou a situação e revelou o caso. O fato dividiu muitos fãs nos Estados Unidos.

E o Vento Levou fez história no cinema por ter a atriz Hattie McDaniel, que se tornou a primeira artista negra indicada ao Oscar. O filme ainda ganhou 8 troféus na popular premiação.


Por conta desse fato, alguns internautas reclamaram da HBO Max nas redes sociais. O fato ganhou ainda mais atenção por causa dos protestos contra o racismo que acontecem nos EUA.

Da mesma forma, também por causa dos protestos, outros internautas pediram para que …E o Vento Levou fosse retirado do serviço de streaming. Na visão desses manifestantes, o filme traz momentos racistas – além de ignorar os problemas da escravidão.

Após o debate por conta de …E o Vento Levou, a HBO Max se posicionou sobre o fato. Ao que parece, a plataforma tentará agradar os dois lados da conversa.

HBO Max dá resposta

A HBO Max retirou …E o Vento Levou do catálogo de forma temporária. A plataforma comunicou que o épico voltará, com um aviso sobre o contexto histórico do filme.

Primeiro, a plataforma explicou que removeu o filme por conta de alguns momentos dele. …E o Vento Levou traz a Guerra Civil americana na história, mas de forma que desagradou muitos espectadores.

“…E o Vento Levou é um retrato de seu tempo e mostra alguns dos preconceitos étnicos e raciais que, infelizmente, têm sido comuns na sociedade americana. Essas representações racistas estavam erradas na época e estão erradas hoje, e sentimos que manter esse título sem uma explicação e uma denúncia dessas representações seria irresponsável”, diz a nota.

Depois, a HBO Max confirmou que colocará …E o Vento Levou na plataforma de novo. Porém, com o intuito de trazer uma discussão sobre o que é apresentado no longa.

“Essas representações certamente são contrárias aos valores da WanerMedia. Portanto, quando colocarmos o filme de novo na HBO Max, ele retornará com uma discussão sobre seu contexto histórico e uma denúncia dessas mesmas representações, mas será apresentado como foi criado originalmente, porque fazer o contrário seria o mesmo que alegar que esses preconceitos nunca existiram. Se quisermos criar um futuro mais justo, equitativo e inclusivo, devemos primeiro reconhecer nossa história”, finaliza o comunicado.

No Brasil, …E o Vento Levou pode ser conferido em plataformas digitais.