Os relatórios sugerem que o Batman de Michael Keaton deve retornar à DC com Flash, de Andy Muschietti, algo que promete remodelar o DCEU como o conhecemos. Além da turbulência em torno de Liga da Justiça e da história de dois diretores, Flash foi o projeto mais difícil da DC para entrar em produção devido a uma série de problemas nos bastidores.

O filme passou por inúmeros diretores e roteiristas em potencial, incluindo Phil Lord e Chris Miller, Rick Famuyiwa e John Francis Daley e Jonathan Goldstein, todos como resultado de interesses conflitantes sobre as direções e a visão da história do filme. Finalmente, em julho de 2019, Andy Muschietti, de It: A Coisa, concordou em dirigir o filme, desta vez com data de lançamento em 3 de junho de 2022.

Relatórios iniciais sobre a direção do roteiro indicaram que Flashpoint da história em quadrinhos da DC Comics seria uma grande inspiração para o filme. Adaptado várias vezes antes, mais notavelmente na terceira temporada de The Flash, bem como no filme de animação Liga da Justiça: Ponto de Ignição, o icônico evento adjacente à crise, Barry Allen viaja no tempo para salvar sua mãe de ser assassinada, apenas para causar danos insondáveis na linha do tempo.


Nos quadrinhos, essas mudanças prejudiciais incluem uma guerra entre os Atlantes e as Amazonas, um mundo em que o Superman é pego e experimentado pelo governo dos Estados Unidos e, sem dúvida, a mudança mais conhecida, uma linha do tempo em que Bruce Wayne é assassinado, resultando em seu pai Thomas Wayne se tornando uma versão letal de Batman.

Enquanto os fãs podem esperar ver algum tipo de truque na linha do tempo em Flash, Muschietti prometeu que o filme seria uma reimaginação da famosa história em quadrinhos, não uma adaptação completa.

Os fãs ficaram compreensivelmente confusos com sua declaração, mas agora os relatórios sugerem que Michael Keaton, que interpretou o Cavaleiro das Trevas nos dois primeiros filmes de Tim Burton de Batman, pode estar reprisando seu papel como Batman de Bruce Wayne em Flash. O ator chegou a viver o vilão Abutre, de Homem-Aranha, na Marvel.

O Observatório do Cinema destaque que isso não apenas é uma grande mudança em relação ao material de origem, mas também uma enorme mudança na composição do DCEU – que implica mudanças mais importantes a serem seguidas.

O multiverso da DC

Com a volta de Michael Keaton como Batman, a DC mostra que está cada vez mais interessada em abordar o conceito do multiverso. Isto porque, originalmente, esta versão pertence a um universo completamente diferente do DCEU.

De acordo com rumores, Flash vai mostrar Barry Allen de Ezra Miller voltando ao passado para salvar a vida de sua mãe, como nos quadrinhos. No entanto, ele acaba num universo paralelo que é protegido pelo Batman de Michael Keaton, que está há mais de 30 anos na ativa.

Isto leva a crer que, diferente do que acontece nos quadrinhos, o Flash nunca viaja no tempo de fato. Ele na verdade tem uma viagem interdimensional, parando na realidade onde existe o Batman de Keaton.

Isto abre de vez o conceito do multiverso no cinema para a DC. E mostra que o DCEU não é mais o limite, já que agora pode haver um multiverso compartilhado – algo muito maior, unindo produções que, inicialmente, não estariam conectadas.

Essa lógica combina com o que a DC vinha fazendo. A partir de Liga da Justiça, o foco se voltou para filmes mais independentes, que poderiam estar ou não conectados – ou seja, não tinham vínculos diretos.

Isso explica por que o Batman de Robert Pattinson será totalmente separado, como o Coringa de Joaquin Phoenix. Mesmo existindo em seu próprio universo, ele pode vir a interagir com outros heróis, caso seja necessário.

Na TV, essa ideia foi muito explorada pelo Arrowverso. Deu certo: tudo culminou no elogiado crossover Crise nas Infinitas Terras.

Como mencionado anteriormente, Flash chegará aos cinemas em 3 de junho de 2022.