Lançado em 1993, O Demolidor é um dos filmes mais polêmicos e estranhos de Sylvester Stallone.

No longa-metragem, Stallone interpreta John Spartan, um policial conhecido por deixar toneladas de dano colateral ao perseguir bandidos. Seu adversário, Simon Phoenix, é interpretado por Wesley Snipes e é congelado junto do policial em 1996.

Ambos acordam em 2032, em um mundo completamente diferente. As únicas armas restantes estão em museus e falar palavrões é um crime, ao passo que a pessoa é automaticamente multada por tal.


Além disso, as pessoas têm tanto medo de bactérias e vírus que evitam tocar uns nos outros. Até mesmo apertar as mãos se tornou tabu.

Alguns dos elementos de O Demolidor fizeram ele se tornar especialmente estranho, em alguns pontos até profético para os diais atuais.

Restaurantes diferentes

Um dos aspectos mais bizarros do filme com Sylvester Stallone é que a única rede de restaurantes que sobrou é o Taco Bell.

É a policial Huxley (Sandra Bullock) que explica para o protagonista que todos os restaurantes agora são Taco Bell e que somente os ricos têm o luxo de comer nesses locais.

Nas versões europeias do filme, contudo, o Taco Bell foi substituído pela Pizza Hut, visto que a rede de comida tex-mex não era tão famosa na Europa na época.

O resultado é a mesma ambientação, mas com logotipos trocados. Além disso, as falas dos atores foram dubladas para realizar a mudança.

A Emenda Arnold

Outro elemento estranho de O Demolidor é a menção da Biblioteca Presidencial Schwarzenegger.

A personagem de Sandra Bullock explica que o ator se tornou tão popular que foi eleito presidente, apesar da constituição americana exigir que a pessoa tenha nascido nos EUA para se tornar presidente.

O melhor é que, em 1993, Sylvester Stallone constantemente competia com Arnold Schwarzenegger pelos papéis.

Curiosamente, uma década após o lançamento de O Demolidor, o Senador Orrin Hatch, de Utah, propôs uma emenda que permitia que pessoas, com ao menos 20 anos de cidadania nos EUA, se candidatassem à presidência americana.

A emenda ganhou o apelido de emenda Arnold, mas acabou nunca sendo aprovada.

Pai de Meryl Streep?

Uma das pontas soltas de O Demolidor é o que aconteceu com a filha do personagem de Sylvester Stallone. John Spartan menciona que tinha uma jovem filha antes de ser congelado.

A personagem de Sandra Bullock se oferece para ajudá-lo a encontrá-la, mas ele diz para ela não se preocupar, visto que ele não se encaixaria mais em sua vida.

O roteirista Daniel Waters chegou a dizer ao Vulture que havia uma cena filmada da reunião de Spartan com sua filha, vivida por Elizabeth Ruscio, mas que ela acabou sendo cortada.

Waters disse, no entanto, que o produtor Joel Silver tinha alguém em mente para aparecer como a filha do personagem de Sylvester Stallone em uma continuação de O Demolidor: Meryl Streep.

Silver disse a Waters que ela seria a escolha óbvia para interpretar a personagem e que a atriz precisava de um grande filme de ação na carreira. Waters argumentou que ela jamais aceitaria o papel.

Plágio

Não é de hoje que filmes de Hollywood são acusados de plágio constantemente. Harlan Ellison, por exemplo, alegou que James Cameron roubou a ideia da franquia O Exterminador do Futuro de um episódio de Outer Limits.

De acordo com o autor húngaro István Nemere, O Demolidor, é outro exemplo de plágio. Em entrevista datada de 2010, o autor disse que o filme roubou a ideia de seu livro Fight of the Dead.

Nemere disse que considerou um processo, mas os custos seriam muito acima do que ele poderia gastar.

Prevendo a pandemia

Em entrevista ao Vulture, em abril de 2020, o roteirista Daniel Waters disse que jamais quis que o filme fosse profético de qualquer forma, mas não pode negar alguns paralelos com o mundo do século XXI.

Muitos desses paralelos dizem respeito à pandemia de COVID-19, mais obviamente por causa do distanciamento social.

No filme com Sylvester Stallone, a policial Huxley diz que uma série de pandemias mortais gerou o medo de contato nas pessoas.

Isso se encaixa perfeitamente com o mundo de hoje em dia. Ainda que não saibamos ao certo como tudo vai ficar após o fim da pandemia do novo coronavírus.

O Demolidor está disponível em DVD e Blu-Ray.