Baseada na série de livros de E.L. James, 50 Tons de Cinza se tornou uma bem sucedida franquia no cinema, com o primeiro filme lançado em 2015 e protagonizado por Jamie Dornan e Dakota Johnson. Agora, um filme da Netflix está repetindo esse sucesso: 365 DNI.

O filme chegou à Netflix brasileira recentemente, e desde então vem conquistando o público com sua história quente e sedutora.

Inspirado na série de romances eróticos de Blanka Lipinska, o filme polonês fez grande sucesso na Europa antes de ser disponibilizado pela plataforma nas Américas.


365 DNI conseguiu se manter entre os filmes mais assistidos da Netflix desde sua estreia, mas também vem causando polêmica e provocando a ira de muitos fãs. Confira abaixo tudo sobre essa história!

A trama de 365 DNI

365 DNI conta a história de Laura Biel, uma jovem que sai de férias para Sicília com o namorado e amigos. No segundo dia da viagem, em seu aniversário de 29 anos, Laura é sequestrada pelo chefe de uma família da máfia siciliana, o jovem Massimo.

Com um passado marcado pela morte e violência, ele tenta fazer Laura o amar no período de 365 dias.

A principal razão do sucesso de 365 DNI na Netflix é a grande quantidade de cenas de sexo, e o enorme teor erótico da história.

Embora tenha excitado muitos espectadores, o filme contou com uma péssima recepção crítica, alcançando a marca de 0% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Petição

Após a polêmica envolvendo a trama de 365 DNI, um grupo de assinantes da Netflix tomou uma decisão drástica. Foi criada uma petição que exige a retirada do filme da plataforma, e o documento já foi assinado por quase 300 pessoas.

O abaixo-assinado afirma que 365 DNI glamouriza o estupro e a violência sexual, além de ignorar completamente o comportamento predatório de Massimo em nome de um maior teor erótico.

“A natureza questionável do filme se torna evidente nos primeiro minutos, na cena em que o protagonista força um ato sexual em uma funcionária de seu jatinho particular. Ela aparece relutante, mas ele não desiste e a prende no fundo do avião. No final do encontro sexual, ela é mostrada com lágrimas nos olhos. E o filme só piora a partir desse momento”, afirma a petição.

O abaixo-assinado também diz que a Netflix não poderia ter escolhido um momento pior para lançar um filme tão problemático.

“É surpreendente que um filme como esse tenha sido lançado em 2020, depois do movimento Anti-Estupro dos anos 70 e o mais recente #MeToo. É horrível pensar que a Netflix apoia esse tipo de conteúdo. Não há nada de consensual no relacionamento dos protagonistas, e o filme tenta glamourizar comportamentos violentos e predatórios”, continua o documento.

A petição também aponta a hipocrisia da Netflix, que lançou o filme na mesma semana da estreia de uma série documental sobre um infame estuprador e pedófilo.

“É assustador do fato da Netflix ter lançado esse filme junto com a estreia do documentário sobre os horrores dos abusos sexuais cometidos pelo bilionário Jeffrey Epstein”, afirma o documento.

Espectadores que assinaram a petição prometem: vão abandonar a Netflix se 365 DNI não for retirado da plataforma.

E você, o que acha do tema?

365 DNI já tem uma sequência confirmada.