A conclusão de Vingadores: Ultimato foi um momento decisivo para o MCU. Ao encerrar uma saga de onze anos, também teve a morte do progenitor do MCU, o Homem de Ferro.

Sacrificando-se com o uso da poderosa Manopla do Infinito, Tony Stark tragicamente deu seu último suspiro depois de salvar o universo uma última vez.

Entretanto, o Observatório do Cinema destaca que pode haver um efeito colateral inesperado nesta ação, que continuaria o legado do Homem de Ferro de uma maneira inesperada. O poder das Joias do Infinito pode trazer o próximo vilão do MCU.


Instinto Ultron

Uma possibilidade é que a convergência da energia das Joias do Infinito possa de alguma forma imbuir a armadura do Homem de Ferro que Tony estava usando com senciência. Isso é reforçado pelo fato de que a armadura usada em Vingadores: Ultimato foi baseada na armadura “Bleeding Edge” dos quadrinhos.

Nos quadrinhos, essa armadura indiscutivelmente deu poderes ao Homem de Ferro, se unindo a ele um pouco como um simbionte e permitindo que ele a armazenasse dentro de sua estrutura óssea. A versão do filme não enfatizou esse aspecto, mas a semelhança com a aparência do material de origem é estranha.

Esse nível avançado de tecnologia seria capaz de ser manipulado pelo poder da Joia, dando vida à maquinaria adormecida, mesmo após a morte de Tony.

Este precedente já foi mostrado na criação da Visão. Este androide, que deveria ser um novo corpo para Ultron, foi trazido à vida pela Joia da Mente.

Ele sempre deveria ter alguma forma de senciência, diferente da armadura Mark 47, mas as quantidades mais altas de energia de Joias do Infinito às quais a armadura Mark 47 foi exposta ainda podem ter enxertado uma personalidade na armadura. Essa personalidade pode ser uma combinação das inteligências artificiais que já estão nos sistemas da armadura, bem como nos últimos vestígios da mente de Tony.

Ter uma parte de Tony Stark dentro da armadura senciente tornaria muito semelhante à versão do MCU de Ultron, que foi construída e modelada por Stark em vez de Hank Pym. Muitos fãs já suspeitam que Ultron retorne de alguma maneira na próxima série WandaVision com Feiticeira Escarlate e Visão, mas essa segunda aparição do vilão pode ter sido criada no clímax de Vingadores: Ultimato.

Ultron II pode ser feito dos restos da armadura Mark 47 de Stark, e simplesmente mantido como um sinal benigno de gratidão pelo sacrifício final de Tony. A partir daí, ele se lembraria de vislumbres fracos do passado de Tony, ou seja, sua criação mais maligna, e se reconstruiria em um novo Ultron.

Muitos também acreditam que o MCU começará a ter uma trajetória mais cósmica, especialmente com a introdução dos Eternos. Um caminho a seguir com essa ideia seria adaptar Annihilation: Conquest de alguma forma.

Este evento de crossover, que uniu os vários elementos do elenco cósmico de personagens da Marvel, também teve um novo Ultron imensamente poderoso como seu vilão final. Uma adaptação do MCU pode manter a essência geral da história, focar em personagens cósmicos mais recentes, bem como apresentar personagens como os Guardiões da Galáxia.

Ao trazer os personagens cósmicos em seu próprio filme exclusivo de crossover, também alcançaria o objetivo planejado de divergir ainda mais os personagens cósmicos da Terra e do MCU, de modo a evitar a construção de outro grande evento do tamanho de Vingadores: Ultimato tão cedo. Embora separada da Terra, no entanto, essa história ainda apresentaria Ultron, um vilão inicialmente baseado na Terra, como sua versão de Thanos.

Vingadores: Ultimato chegou aos cinemas em 2019. Atualmente, no Brasil, está disponível no Amazon Prime Video.