Atriz de X-Men abandona papel após polêmica; veja o motivo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Poucos dias após Halle Berry anunciar que poderia
interpretar um homem trans em um filme, a atriz de X-Men revelou que não está
considerando mais o papel, após polêmica nas redes sociais.

Nas redes, Halle Berry foi criticada por ter considerado o
papel que deveria pertencer a um ator trans, visto que eles já contam com poucas
oportunidades no mercado.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Ao longo do fim de semana tive a oportunidade de discutir minha
consideração por um papel como homem trans, e gostaria de me desculpar pelo que
eu disse”, diz a declaração da atriz de X-Men no Twitter.

“Como uma mulher cisgênero agora entendo que eu não deveria
ter considerado esse papel e que a comunidade transgênero deveria, sem dúvidas,
ter a oportunidade de contar suas próprias histórias”.

“Sou grata pelos conselhos e discussões ao longo dos últimos dias e vou continuar a escutar, educar e aprender com esse erro”, continuou Berry. “Juro ser uma aliada e usar minha voz para promover melhor representação em tela, tanto na frente, quanto por trás das câmeras”.

Veja o tweet original, abaixo.

Polêmicas

A atriz de X-Men discutiu o papel pela primeira vez em uma
live no Instagram e foi duramente criticada pelas suas palavras.

“Estou pensando em [interpretar] uma personagem em que a
mulher é uma personagem trans. Então ela é uma mulher que se transformou em
homem”, disse Halle Berry na época.

Os fãs rapidamente apontaram que ela identificou de forma errada o gênero do homem trans, ao chamá-lo de mulher.

Essa não é a primeira vez que um papel que deveria ir para
ator/ atriz trans vai para um ator/ atriz cis. Anteriormente, Scarlett
Johansson enfrentou críticas por ter aceitado interpretar um homem trans no
filme Rub & Tug. Após polêmica, ela deixou o papel.

Mais recentemente, J.K. Rowling também tem sido denunciada pelos seus comentários transfóbicos e homofóbicos nas redes sociais.

A autora chegou a defender “tratamentos” que muito se assemelham ao absurdo popularmente conhecido como “cura gay”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio