Quando se trata de representatividade LGBTQIA+, a Disney e a Marvel estão deixando muito a desejar e parece que isso finalmente irá melhorar um pouco com Os Novos Mutantes (que era da Fox), com a brasileira Alice Braga.

O filme indicou que veríamos um relacionamento entre Rahne Sinclair (Maisie Williams, de Game of Thrones) e Danielle Moonstar (Blu Hunt), o que foi confirmado em painel do Comic-Con@Home.

E como Os Novos Mutantes deve acertar onde os filmes anteriores da Marvel erraram? O relacionamento das duas personagens será explícito e estará no centro do filme e não relegado a figurantes ou personagens secundários com poucos minutos em tela.


“Foi realmente maravilhoso poder ver um relacionamento como esse em […] um mundo de super-heróis e foi ótimo ver essas duas mulheres frágeis protegendo uma a outra, trazendo a luz em cada uma delas”, disse Maisie Williams durante o painel.

Resta aguardar para saber se essa promessa de mais representatividade LGBTQIA+ será cumprida.

Os Novos Mutantes estreia em 27 de agosto de 2020.

Falta de representatividade

Vingadores: Ultimato pode ter sido uma grande conquista para a Marvel, não somente por ser um projeto extremamente ambicioso, como por ter alcançado o primeiro lugar na lista das maiores bilheterias da história do cinema.

Ainda assim, o filme cometeu um grande erro na sua representação de personagens LGBTQIA+, incluindo uma cena, que, na época, causou bastante polêmica.

O filme todo conta com uma breve cena com um figurante (vivido por um dos diretores do filme) abertamente gay.

A cena não é, nem de longe, essencial para o filme e parece ter sido incluída em Vingadores: Ultimato mais para tapar o Sol com a peneira, buscando aprovação da audiência LGBTQIA+. De forma alguma podemos enxergar isso como uma luta da produção por inclusão.

Em todo caso, o filme obviamente falhou no teste Vito Russo, usado pela GLAAD (Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação).

Para passar no teste, o filme deve incluir “um personagem que pode ser identificado como lésbica, gay, bissexual ou transgênero” e que não seja definido pela sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Além disso, o personagem deve ser inserido na trama de tal forma, que sua remoção cause grande impacto no filme.

Obviamente, Vingadores: Ultimato passou longe de ser aprovado no teste. Curiosamente, uma das heroínas do filme, a Valquíria, já foi confirmada como LGBTQIA+, mas isso nunca foi abordado nos filmes.

Esse não é o primeiro filme da Disney em tempos recentes que causou polêmica envolvendo o assunto. Toy Story 4 também foi criticado por mostrar apenas um breve trecho, curto demais – do tipo piscou, perdeu – com duas mães levando a filha para a escola.

Em todo caso, parece que a Fase 4 do Universo Cinematográfico Marvel consertará esse grande problema de representatividade LGBTQIA+. Os Eternos terá o primeiro beijo gay da Marvel nos cinemas, enquanto que a Valquíria vai procurar “sua rainha” em Thor: Amor e Trovão.

Vamos ver se isso realmente se concretizará de maneira aceitável.

Vingadores: Ultimato está disponível em DVD, Blu-ray e na Amazon Prime Video.