Em 1996, Stephen King, o rei do terror, se juntou a Michael Jackson, o rei do pop, para criar um clipe/ curta-metragem chamado Ghosts.

Após a morte de Michael Jackson, em 2009, Stephen King revelou que o Rei do Pop foi até o prolífico autor para trabalhar com ele em Ghosts.

Jackson tinha a ideia para a história e queria que King a escrevesse. Ghosts seria tanto um clipe estendido para várias músicas de Michael Jackson, quanto um curta-metragem de terror.


King concordou com a proposta de Jackson, intrigado pela ideia de escrever um musical pela primeira vez. Mick Garris dirigiria o filme, mas, após algumas semanas, a produção foi interrompida.

Três anos depois, Michael Jackson fez Ghosts seguir em diante mais uma vez, mas Garris teve de sair, por estar ocupado com a direção de O Iluminado (a minissérie para TV).

Stan Winston acabou assumindo a direção do filme, que traz Michael Jackson como o Maestro.

Trama inusitada

Na trama, o prefeito de Normal Valley (também vivido por Jackson), quer expulsar o Maestro da cidade, por supostamente fazer algo ilegal com as crianças locais.

O Maestro proclama sua inocência e desafia o prefeito para uma competição na qual o primeiro que se assustar perde. O prefeito acaba fugindo após o Maestro se tornar um demônio.

Obviamente, a história é ligada às acusações de pedofilia contra Michael Jackson e, aparentemente, o Rei do Pop buscava usar o clipe para declarar sua inocência. Ainda que se transformar em demônio talvez não fosse a melhor maneira de fazer isso.

Em todo caso, o clipe de Michael Jackson com Stephen King está disponível no YouTube.