Desde que os fãs conheceram Elsa em 2013, no primeiro filme de Frozen, a comunidade LGBTQ+ se apegou muito a jornada da personagem.

Isso gerou uma enorme expectativa de que, no segundo filme, Elsa se revelasse lésbica e ganhasse uma namorada.

Frozen 2 infelizmente não cumpriu com essas expectativas, mas há vários motivos para a Disney não tocar neste assunto.


Além disso, não podemos esquecer que ainda pode haver um terceiro filme que, finalmente, aborde o tema.

Por que os fãs querem que Elsa seja gay?

Muitos fãs de Frozen não se calaram com o desejo de Elsa sair do armário. O pedido de uma namorada para Elsa foi uma tendência em 2016, com fãs exigindo que a personagem se assumisse lésbica em Frozen 2.

Crianças e adultos LGBTQ+ se veem em Elsa e sua luta para se adaptar à definição da sociedade de “normal”, e a conversa não se calou desde então. Finalmente, a Disney deu aos fãs uma princesa cuja decisão não é regida pelo desejo de um príncipe.

“Let it Go” se tornou um hino gay para aqueles que abraçavam sua sexualidade, e tudo o que a Disney precisava fazer era dar uma namorada a Elsa. No entanto, eles não fizeram.

A Disney tem o hábito de brincar com o que muitos fãs querem sem realmente dar a eles. Esse padrão é obrigatório sempre que há muitos seguidores de um potencial relacionamento LGBTQ+ entre os personagens.

Esse fenômeno é predominante em Hollywood e foi apelidado de “queerbaiting” (isca de público queer). Houve avanços significativos para limitar esse tipo de repercussão, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Até Idina Menzel, campeã dos direitos LGBTQ+ e a voz de Elsa, tem interesse nessa luta. Durante uma entrevista à PrideSource, Menzel observou que ela não pensou na sexualidade de Elsa no começo, mas “rapidamente viu todos os paralelos e a universalidade da música, e como ela poderia falar com tantas pessoas de tantas maneiras diferentes.”

A atriz também disse: “Sempre existem esses personagens que estão literalmente tentando sair do armário – eles estão escondendo algo dentro deles que têm medo de deixar as pessoas verem e, finalmente, eles o abraçam e mudam o mundo ao redor deles.”

Por que Frozen 2 não abordou a sexualidade de Elsa?

A Disney tem feito alguns pequenos avanços na representação de LGBTQ+, mas muitos fãs insistem que é muito pouco e muito tarde. Esforços mínimos que continham não mais do que 20 segundos de tempo de tela foram realizados em Vingadores: Ultimato e Star Wars: A Ascensão Skywalker.

Relacionamentos gays mais significativos apareceram em programas Disney+ de menor escala – mas com a natureza mais conservadora dos principais filmes da Disney, seria necessário um milagre para o estúdio tornar Elsa gay.

O gigante da mídia enfrenta a reação dos pais toda vez que um personagem insinua sua sexualidade. Não era provável que a Disney arriscasse tudo boicotando sua franquia de animação mais bem-sucedida ao tornar gay a protagonista de Frozen.

Quando perguntada sobre a não abordagem da sexualidade de Elsa em Frozen 2, a diretora Jennifer Lee disse ao Insider:

“Quando concordamos em fazer a sequência, concordamos que não a construiríamos de fora para dentro… Simplesmente não podíamos”.

Para a equipe criativa, a história de Elsa é sobre as duas irmãs, e o romance não é uma parte crível da equação para ela neste momento.

“Não conseguimos mudar isso de fora porque não seria autêntico”, expandiu Lee. “Então, não construímos para Elsa uma história romântica. Não estávamos fazendo uma declaração sobre isso; estávamos apenas construindo de onde ela está agora e sentimos que precisávamos permanecer fiéis.”

Frozen 3 pode finalmente mostrar que Elsa é gay?

Dado que Frozen 2 demorou cerca de seis anos para ser concluído, o clima social no caminho de uma princesa gay pode mudar entre agora e depois. O progresso da inclusão de LGBTQ+ em filmes de grande sucesso tem sido lento, mas não inexistente.

O impulso pela representação na mídia é influente, e a Disney terá que dar aos fãs o que eles querem – seja com Elsa ou com uma nova princesa (ou príncipe).

Quando perguntada se ela acha que o mundo está pronto para uma princesa lésbica da Disney, Menzel disse à PrideSource:

“Umm… eu não sei disso, considerando que estamos tendo dificuldade em tirar Donald Trump do caminho. Às vezes é um desanimador. Mas você nunca sabe. Continuamos fazendo todos esses avanços.”

O elenco e a equipe criativa deram seu apoio aos fãs que identificam Elsa como um ícone gay. Até agora, o motivo para evitar um relacionamento é que Elsa não está pronta para um.

Frozen 2 termina em uma nota forte, onde Elsa abraça quem ela é e parece estar feliz – para que a desculpa não voe se um terceiro filme for feito. A recém-descoberta confiança e auto-aceitação de Elsa oferecem o ponto de partida perfeito para uma Elsa gay.