Quanto você está disposto a gastar em alguns dos melhores acessórios para filmes? Para os fãs da Marvel, o preço de algumas das peças mais procuradas é maior do que você pensa.

Encontrá-las é ainda mais difícil, como tentar encontrar o Santo Graal. Mas há algumas pessoas por aí que gastariam um belo dinheiro por esses acessórios, não importa o que acontecesse, e não parariam por nada para aumentar suas coleções.

Mas imagine realmente se tornar o super-herói que você mais ama. O que seria necessário e, mais importante, quanto custaria?


O preço de se tornar um super-herói pode prejudicar sua conta bancária, especialmente se você precisar de um certo escudo. Aqui está o quanto custaria para você ser o Capitão América, incluindo seu famoso escudo, que também é um acessório bastante impressionante no mundo real.

O preço para ser o Capitão América

Você teria que ser um milionário como Bruce Wayne para poder comprar trajes, armas e todos os outros brinquedos que os super-heróis usam. Mas quanto custaria ser o Capitão América?

A estimativa financeira de quanto custaria é bastante pesada. Steve Rogers foi capitão durante a Segunda Guerra Mundial e, na época, era um homem solteiro que recebia US$ 2.400 por ano.

Rogers foi capitão por dois anos antes de se tornar Capitão América, o que significa que ele poderia ganhar US$ 4.800 por ano.

Em sua transformação no Capitão América, ele ficou congelado por 70 anos, mas se tivesse esse dinheiro economizado em uma conta bancária, os juros seriam cobrados por todos esses anos. Se tivesse a taxa de juros mensal padrão de 0,03% de 1944 a 2014, sua poupança teria aumentado para US$ 6.009.

Há também a probabilidade de que Rogers pudesse ter títulos de guerra, o que também teria ganhado valor ao longo das décadas.

O projeto do governo de transformar Rogers em Capitão América custaria aproximadamente o mesmo que outros projetos científicos durante a época, incluindo os projetos que Albert Einstein fazia parte.

Registros históricos mostram que o salário anual de Einstein era de US$ 10.000 em 1933. Isso significa que o cientista que trabalhava com Rogers, Abraham Erskine, provavelmente teria recebido o mesmo.

Howard Stark, que também trabalhou no projeto, provavelmente também recebia US$ 10.000. Adicione todo o equipamento de laboratório e outras necessidades, e o projeto custaria tanto quanto qualquer outro projeto durante a época: cerca de US$ 30.000.

Como qualquer fã da Marvel saberá, o escudo do Capitão América é feito de Vibranium, que é um metal fictício usado em todo o MCU. É especialmente precioso porque pode absorver qualquer vibração de energia, o que o torna indestrutível.

Vibranium vem do país africano Wakanda, a casa dos Panteras Negras. Após muitos rumores de sua existência ao longo dos anos, o cientista Dr. Myron MacLain colocou as mãos em um pouco desse metal.

Na época, MacLain estava produzindo metais fortes para o governo dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Completamente por acidente, MacLain criou o escudo de disco que se torna o escudo do Capitão América.

Se MacLain pagasse pelo Vibranium, teria custado mais do que seu próprio salário. Quando T’Challa, rei de Wakanda na época, tornou conhecida a existência de Vibranium, ele finalmente começou a vendê-lo em pequenas quantidades.

Acabou sendo um mercado enorme e, eventualmente, o rei africano começou a vendê-lo a US$ 10.000 por grama. Logo os lucros conseguiram transformar Wakanda em um país rico e tecnologicamente avançado.

Com isso dito, isso faria o escudo valer muito dinheiro. Como o escudo pesa 5,4 Kg, o acessório icônico valeria mais de US$ 54 milhões (o que, na cotação atual do dólar, equivale a aproximadamente R$ 282 milhões).

O escudo do Capitão América é definitivamente um dos acessórios mais importantes e valiosos do Universo Marvel. Apesar de Steve Rogers ser sempre um homem modesto e simples, se tornar como ele com certeza custaria muito dinheiro.

Chris Evans se despediu do papel de Capitão América em Vingadores: Ultimato. No Brasil, o filme está disponível no Amazon Prime Video.