Filmes

Matrix, com Keanu Reeves, revela origem surpreendente das pílulas

Mais de vinte anos após o seu lançamento, Matrix continua uma obra bastante atual. Grande parte disso se deve ao fato do filme com Keanu Reeves se inspirar fortemente no Mito da Caverna, de Platão.

Para quem faltou as aulas de filosofia na escola, o Mito da Caverna diz que toda a nossa realidade é meramente um reflexo, sombras da realidade projetadas sobre a superfície de uma parede da caverna onde todos estamos presos.

Somente através do saber, da filosofia, somos capazes de nos livrar dessa prisão e descobrir o mundo das ideias, enxergando, portanto, as coisas como elas realmente são.

Platão ainda utiliza o mito como metáfora para a morte de Sócrates, seu mentor, que foi condenado pelos cidadãos de Atenas ao tentar mostrar a ‘verdade’ para eles, em outras palavras, ele tentou tirá-los dessa caverna.

Matrix e a filosofia

Com isso em mente, fica bastante fácil entender a influência da filosofia de Platão no filme das irmãs Wachowski, com Keanu Reeves.

A Matrix são as sombras projetadas na parede da caverna, enquanto que o Mundo das Ideias é o mundo fora da Matrix.

Morfeu, nessa comparação, funciona como o filósofo, que busca tirar os outros dessa ilusão. A pessoa, no entanto, precisa querer ser salva, o que justifica a famosa cena das pílulas azul e vermelha.

No filme sabemos como essa história termina e Neo, interpretado por Keanu Reeves, primeiro é um daqueles presos à caverna, para se tornar o salvador e mártir ao término da trilogia.

A trilogia Matrix está disponível em DVD e Blu-ray. O quarto filme da franquia já foi confirmado e deve estrear em 2022.

Conteúdo patrocinado