Ao longo dos anos, Batman Unchained (às vezes chamado de Batman Triumphant) se tornou uma lenda. É o filme do Batman que nunca viu a luz do dia – uma sequência de Batman e Robin de 1997 que acabou sendo cancelada logo após o lançamento do filme.

Os chefes da Warner Bros. originalmente esperavam ter outro filme do Batman nos cinemas em 1999, mas quando Batman Unchained nunca chegou à produção, acabou levando mais oito anos para Bruce Wayne aparecer novamente no cinema.

Então, com isso em mente, vamos ver como seria a trama de Batman Unchained e por que foi cancelado.


Detalhes do projeto cancelado

Houve muito otimismo inicial em torno de Batman e Robin, o que fez a equipe da Warner Bros. se sentir confiante o suficiente para abordar Joel Schumacher sobre a criação de mais um projeto do Batman.

Já bem mergulhado na tradição do Batman, Schumacher foi uma escolha natural na época. Seu filme, Batman Eternamente, tinha ido muito bem nas bilheterias e não havia razão para acreditar que Batman e Robin também não seria um grande sucesso.

Schumacher estava começando a se sentir menos entusiasmado com as demandas específicas para a criação de outro grande filme do Batman, mas ele concordou com o projeto, contanto que tivesse tempo para se concentrar em alguns projetos menores de paixão e a capacidade de seguir a sequência em uma nova direção.

Akiva Goldsman, o roteirista de Batman e Robin e Batman Eternamente, decidiu que não estava particularmente interessado em escrever outro filme do Batman. Quando ele recusou, Mark Protosevich, que os leitores podem conhecer como o roteirista de filmes como A Cela e Eu Sou a Lenda, entrou em cena.

O roteiro de Protosevich nunca foi desenvolvido além dos estágios iniciais, mas o rascunho foi distribuído entre os principais tomadores de decisão antes de ser rejeitado.

Aparentemente, Schumacher e Protosevich estavam ansiosos para explorar alguns dos demônios pessoais do Batman, elaborando um filme que se afastaria do tom mais leve de Batman e Robin. Eles imaginaram um roteiro com uma abordagem mais séria do mundo de Gotham, reconhecendo que a franquia provavelmente precisava evoluir em uma nova direção.

Os filmes do Batman costumam ser moldados pela escolha dos vilões e, em Batman Unchained, Protosevich imaginou colocar o Espantalho e Arlequina contra o Cavaleiro das Trevas. Seu plano era fazer com que os dois personagens combinassem suas forças do mal na última metade do filme.

Batman Unchained foi planejado para várias estrelas de Batman e Robin reprisarem seus papeis, incluindo George Clooney e Chris O’Donnell. Há, no entanto, algum debate sobre se a Batgirl de Alicia Silverstone teria acabado fazendo uma aparição.

Como o vilão central do filme, o Espantalho teria sido um papel importante que precisava de um ator carismático, alguém capaz de testar e manipular a percepção da realidade dos espectadores. Joel Schumacher falou sobre imaginar Nicolas Cage como uma opção para o papel.

As performances às vezes malucas de Cage parecem um ajuste natural para o “Mestre do Medo”. A escalação de uma atriz para Arlequina nunca foi firmada na mesma medida, no entanto, Courtney Love foi lançada como uma opção potencial para a personagem.

No entanto, a decisão de elenco mais legal em potencial teria sido o retorno de muitos vilões anteriores do Batman. Falou-se em criar uma grande cena de alucinação onde Duas-Caras (Tommy Lee Jones), o Charada (Jim Carrey), a Mulher-Gato (Michelle Pfeiffer), o Pinguim (Danny DeVito) e até o Coringa (Jack Nicholson) aparecessem para atormentar o Cavaleiro das Trevas (alguns desses vilões já estavam mortos, como o próprio Coringa).

Para os fãs da franquia da DC, é uma perspectiva empolgante e assustadora. Se bem feita, poderia ter sido uma cena incrível e climática para encerrar a série de filmes e trazer uma conclusão satisfatória para o arco do Batman.

Se mal feita, teria o risco de parecer mais um serviço para fãs do que um ponto de trama interessante.

Uma das principais objeções ao roteiro de Protosevich era que o filme teria sido muito caro para filmar. No entanto, como os roteiros passam por uma série de mudanças antes das filmagens, é mais provável que a má recepção de Batman e Robin em seu lançamento tivesse uma influência maior na paralisação do projeto.

Atualmente com 11% de aprovação no Rotten Tomatoes, Batman e Robin é frequentemente tido como o maior fracasso da franquia de Batman no cinema. Havia aqueles mamilos infames no traje do Batman, o cartão de crédito do Cavaleiro das Trevas e a coleção de trocadilhos que provocam vergonha alheia.

Toda a expectativa antes do lançamento do filme também não ajudou com a inevitável decepção.

O roteiro de Batman Unchained foi finalmente colocado de lado e, embora o planejamento para uma sequência não tenha sido totalmente eliminado, Batman acabou não enfeitando o cinema novamente até Batman Begins, de Christopher Nolan, em 2005. Curiosamente, como Schumacher e Protosevich, Nolan reconheceu que os filmes do Batman precisavam seguir um caminho mais sombrio e ousado.

Nolan não apenas relançou a franquia, mas também definiu uma tendência de novas versões ousadas na qual muitos outros diretores se inspiraram nos anos seguintes, para melhor e para pior.

O próximo filme do Cavaleiro das Trevas é The Batman, com Robert Pattinson. A estreia está marcada para outubro de 2021.