Não há como esquecer a famosa cena de Let It Go (Livre Estou) do primeiro Frozen, da Disney. A sequência mostra Elsa encontrando o seu próprio lugar, entregando-se à sua verdadeira natureza e seus poderes.

Apesar das raízes no conto A Rainha da Neve, de Hans Christian Andersen, Frozen claramente também inspirou-se nos quadrinhos da DC, especificamente do Superman, quando se trata do castelo de Gelo de Elsa – algo que fica ainda mais evidente em Frozen 2.

O castelo traz forte similaridade com a Fortaleza da Solidão, de Superman. Inicialmente, Elsa é relutante a aceitar seus poderes, quando ela aceita, no entanto, sua jornada se torna parecida com a jornada de Clark Kent, descobrindo seu poderes.


Tanto nos filmes, quanto nos quadrinhos, Clark Kent vai para o Ártico para construir sua fortaleza, usando cristais kryptonianos para tal. Já Elsa sobe a montanha para construir seu castelo de gelo e viver tranquilamente – em solidão.

Assim como na Fortaleza da Solidão, onde Superman pode se comunicar com os espíritos de kryptonianos mortos através de dispositivos de inteligência artificial, Elsa consegue se comunicar com o espírito da sua mãe, Iduna. A princesa da Disney faz isso através de Ahtohallun.

Além disso, através do Ahtohallun, Elsa consegue ver recriações em gelo de eventos passados, da mesma forma que o Superman estuda a história de Krypton e outras civilizações na Fortaleza da Solidão.

Mais inspirações

A história de Frozen 2 reflete completamente nas pessoas que atuaram na produção do filme. Por isso, a série documental “Into the Unknown” é tão poderosa. Os episódios revelam como os personagens se relacionam com a vida pessoal dos membros da equipe de produção.

O terceiro episódio da série revela que um dos novos personagens, Ryder, ajudou o diretor Chris Buck a lidar com o luto e a perda.

Na época do final da produção do primeiro Frozen, o filho de Buck morreu em um acidente de carro. Ele também se chamava Ryder.

“A festa de encerramento foi muito estranha para mim. As pessoas chegavam e diziam que amavam o filme, e 10 segundos depois retornavam para dar os pêsames pela morte do meu filho. E isso aconteceu a noite toda”, afirmou o co-diretor.

Buck também disse que a música “The Next Right Thing”, cantada pela intérprete de Anna, o ajudou a lidar com o luto e continuar trabalhando.

Em Frozen 2, o personagem dublado por Jason Ritter ganhou o nome de Ryder em homenagem ao filho de Chris Buck.

“Nós aumentamos a trama dele foi ele é muito divertido e positivo. Isso me ajudou a ver as coisas de forma diferente”, contou Buck.

Frozen 2 já está disponível na Amazon Prime Vídeo.