Lily Wachowski, uma das criadoras e diretoras de Matrix, revelou que o filme estrelado por Keanu Reeves contém uma mensagem oculta sobre transexualidade.

A diretora confirmou uma teoria sobre o filme, publicada na revista Vulture em 2019, dizendo que o primeiro Matrix é uma alegoria de mudança de gênero.

A teoria – agora confirmada – aponta que o protagonista, vivido por Keanu Reeves, é Thomas Anderson, programador de dia, e Neo, hacker à noite. A autora do texto ainda aponta a relação da pílula vermelha com pílulas de estrogênio, consumidas por mulheres trans.


Ao ser questionada sobre a transformação do Sr. Anderson em Neo, Lily Wachowski respondeu:

“O mundo não estava preparado para isso, o mundo corporativo não estava pronto. Fico feliz que as pessoas tenham descoberto essa nossa intenção”.

 “Eu amo como esses filmes são significativos para pessoas trans, elas sempre me dizem: ‘esses filmes salvaram a minha vida’. Porque quando você fala sobre transformação, principalmente em ficção científica, que se trata de imaginação e de transformar o impossível em possível, há um diálogo muito grande com o público”.

Transição

A diretora ainda revelou sobre a transição pela qual ela e sua irmã, Lana, passaram ao longo da vida.

“Nós existíamos em um espaço no qual palavras não faziam sentido, então sempre vivemos em um mundo de imaginação. Por isso nos aproximamos da ficção científica e da fantasia. Sempre gostamos de criar os nossos mundos. Isso também nos libertou como cineastas”.

Não por acaso as duas dedicaram suas carreiras lutando por representatividade e por direitos LGBTQIA+.

Bom exemplo disso é a série Sense8, uma das melhores produções originais da Netflix, que tinha uma mulher trans como uma das personagens principais, além de outros personagens de destaque LGBTQIA+.

Atualmente, Lana, irmã de Lily Wachowski, está gravando Matrix 4, que trará Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss de volta aos seus famosos papéis, que viveram por último em Matrix Revolutions.

Matrix 4 está previsto para abril de 2022.