O vilão do primeiro O Exterminador do Futuro, vivido por Arnold Schwarzenegger, provou ser uma máquina praticamente indestrutível, mas o T-1000, da continuação, conseguiu superar a versão T-800, a tal ponto que sua derrota parecia ser impossível.

Aparentemente, uma cena deletada de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final explica em mais detalhes como o vilão acabou sendo derrotado.

Antes do ato final de O Exterminador do Futuro 2, vemos o T-1000 sendo coberto com nitrogênio líquido. Ele acaba congelando o T-800 o despedaça. Infelizmente, uma fonte de calor próxima acaba derretendo o gelo e ele se reconstrói.


Nas cenas deletadas do filme, é revelado que isso acabou provocando danos permanentes no T-1000 e ele começa a perder controle de suas habilidades de se transformar. Conforme ele anda na cena final do filme, suas mãos e pés começam a involuntariamente se mesclar com as barras de aço nas quais ele encosta.

Na versão original da cena em que T-1000 se transforma em Sarah Connor, é justamente esse defeito que permite John saber qual é a sua mãe de verdade.

Na adaptação literária do filme, ainda é revelado que a principal fraqueza do T-1000 é a exposição à temperaturas extremas, o que acontece em O Exterminador do Futuro 2. Isso explica como ele é derrotado no fim do filme.

Continuações canceladas

As duas sequências canceladas de O Exterminador do Futuro: Gênesis teriam mergulhado nas origens da Skynet. Após O Exterminador do Futuro: A Salvação decepcionar fãs e críticos em 2009, a série tentou se recuperar com O Exterminador do Futuro: Gênesis em 2015.

O Exterminador do Futuro: Gênesis trouxe de volta Arnold Schwarzenegger como ator de destaque, além de apresentar um elenco impressionante com Emilia Clarke, Jai Courtney e Jason Clarke. Apesar dos melhores esforços da Skydance, o quinto filme de O Exterminador do Futuro não foi tão bem quanto eles esperavam.

O Exterminador do Futuro: Gênesis deveria ser o primeiro filme de uma nova trilogia de O Exterminador do Futuro, mas depois que o filme teve um desempenho ruim nas bilheterias e recebeu críticas negativas, as duas sequências planejadas, além de uma série de TV, foram descartadas.

Uma sequência teria introduzido outra linha do tempo alternativa, explicando as origens do personagem T-5000 de Matt Smith.

A sequência de O Exterminador do Futuro: Gênesis também teria se aprofundado na história do ciborgue John Connor, detalhando os eventos que ocorreram depois que a Skynet o levou. Agora, foi revelado que os fãs poderiam ter visto ainda mais de perto a origem do sistema de inteligência artificial do mal.

Enquanto conversava com o podcast Production Meeting, o produtor e escritor Patrick Lussier falou brevemente sobre seu trabalho em O Exterminador do Futuro: Gênesis e como poderiam ser as sequências.

Lussier explicou que, embora O Exterminador do Futuro: Gênesis fosse uma carta de amor para O Exterminador do Futuro 2 – O Dia do Julgamento Final, as sequências teriam introduzido novos personagens e teriam sido “mais complicadas”.

Ele também mencionou que uma sequência teria explicado a origem da Skynet, mostrando também de onde veio o personagem de Smith.