ALERTA DE SPOILERS

Sol da Meia-Noite está tendo uma recepção mista com a crítica. O novo livro de Crepúsculo reconta os eventos da saga, mas com a narração e os pensamentos de Edward.

O livro é esperado pelos fãs. Sol da Meia-Noite deveria ter chegado na década passada, mas foi adiado de forma indefinida após ter capítulos vazados.

Em 2020, com a pandemia do coronavírus (COVID-19), a autora Stephenie Meyer decidiu dar esse presente aos fãs. Para muitos, era a chance de descobrir o que se passa na cabeça de Edward, vivido nos cinemas por Robert Pattinson.


Ao que parece, acompanhar o vampiro é a melhor parte do livro. Os críticos afirmam que é “cansativo” reler situações com Bella que já são conhecidas, mas que os momentos inéditos de Edward são preciosos.

Meredith Goldstein, do Boston Globe, disse em alguns momentos, o novo Crepúsculo parece “repetitivo”.

“Os melhores momentos são quando Edward não segue Bella. Há momentos adoráveis de Edward com a família, especialmente Alice, a irmã dele, que tem visões do futuro. Para os que não sabem, o poder dele é ler mentes. As conversas dele com Alice, que antecipa cada movimento, é onde a história brilha. Você pode dizer que a autora ama escrever sobre a família”, afirma a profissional.

Enquanto isso, Natalie Zutter, do Den of Geek, analisa que o Sol da Meia-Noite é apenas para leitores que já conhecem a saga. Assim, só vale a leitura para quem já conhece toda história de Crepúsculo.

Edward inseguro em Crepúsculo

A jornalista também analisa um novo ponto de vista na relação de Edward e Bella. Por não conseguir ler a mente da amada, o vampiro fica inseguro – o que não parecia acontecer.

“Enquanto Crepúsculo faz de Bella uma figura passiva no próprio destino, essa reviravolta – de Edward não saber se ela o deseja ou o ama – é apreciada. Faz ele suar”, destaca a análise.

As críticas mais negativas, ao menos registradas até o momento, são de Annie Lord, do The Independent, e de Constance Grady, da Vox. Para primeira, Sol da Meia-Noite piora a relação principal de Crepúsculo, entre Edward e Bella.

“É ainda mais intragável agora que mostra o desejo dele”, garante a crítica.

Já para a segunda, o livro traz mais do “estranho erotismo” de Crepúsculo.

“Tem a mesma insistência da perseguição e abuso emocional, o mesmo racismo com indígenas e todas as falhas que fizeram a franquia um saco de pancadas da cultura pop quando estava fazendo sucesso há 10 anos”, completa o texto.

Sol da Meia-Noite, novo livro de Crepúsculo, já está disponível.