Sem filmes da Marvel e da DC monopolizando os cinemas, a Netflix aproveitou para lançar sua própria versão de filmes de heróis, com Power, estrelado por Jamie Foxx, de Ray e O Espetacular Homem-Aranha 2.

O filme não pode ser considerado um sucesso estrondoso de crítica, mas está sendo bem recebido pela mídia especializada.

“O filme usa clichês dos quadrinhos e os aplica a um thriller policial mais sóbrio, dando sua história um visual que resulta em uma noite chamativa nos filmes”, escreveu Sean O’Connell do CinemaBlend.


Já David Rooney, do THR, também foi bem positivo em sua análise de Power, embora não tenha somente tecido elogios ao longa.

“É fácil perceber furos no roteiro de Power e enxergar sua inspiração e ideias em filmes ou quadrinhos que vieram antes. Mas há muitos sucessos que encontraram boas audiências embora não sejam originais”.

Já Robert Daniels, da IGN, deixou um alerta para os potenciais espectadores:

Power, da Netflix, desperdiça o potencial de seus temas relevantes e seu intrigante conceito por uma nova concepção da narrativa de super-heróis. O ritmo se arrasta nas cenas de ação, ofuscadas por composições bagunçadas e escolhas visuais exageradamente estilizadas. Nova Orleans, como o cenário do filme, é desperdiçada, enquanto o conceito sombrio do filme falha em entregar a desejada intensidade”.

Atualmente, o filme acumula 68% de aprovação no Rotten Tomatoes, com 50 críticas contabilizadas.

Power na Netflix

A descrição oficial de Power diz: “Nas ruas de Nova Orleans, começa a se espalhar uma misteriosa pílula nova que desbloqueia superpoderes exclusivos para cada usuário. O problema: você não sabe o que vai acontecer até tomá-la.”

Os diretores de Nerve: Um Jogo Sem Regras, Henry Joost e Ariel Schulman, comandaram o filme, que apresenta um roteiro de Mattson Tomlin.

O filme também é estrelado por Joseph Gordon-Levitt, Machine Gun Kelly, Rodrigo Santoro e Courtney B. Vance.

Power já está disponível na Netflix.