Alerta de spoilers!

A história de Power, da Netflix, acaba pegando emprestado alguns elementos chave dos quadrinhos do Capitão América, da Marvel.

Mais especificamente, a história do personagem de Jamie Foxx, Art, espelha a origem de Isaiah Bradley nos quadrinhos do Capitão América. Bradley, que pode aparecer na série do Falcão e o Soldado Invernal, foi o primeiro personagem negro a assumir o manto do Capitão América.

Na revista Truth: Red, White & Black, foi revelado que Bradley fazia parte de um programa que trouxe vários soldados negros ao exército dos EUA, durante a Segunda Guerra. Eles acabaram servindo como cobaias para tentar recriar o soro de super-soldado do Capitão América.


O objetivo era criar um novo Capitão América, em um projeto que espelha O Estudo da Sífilis Não Tratada de Tuskegee, que enganou americanos negros, dizendo que receberiam cuidados médicos de graça, mas, na realidade, foram infectados com sífilis.

Nos quadrinhos, Isaiah Bradley foi uma das 300 cobaias levadas para uma missão secreta, que na verdade os colocou como testes.

Eventualmente, Bradley foi o único super-soldado sobrevivente desse programa sinistro.

Na Netflix

Já em Power, da Netflix, Art também fez parte de experimentos conduzidos pela Teleios. Ele e outros veteranos foram submetidos a materiais radioativos na tentativa de transformá-los em super-heróis.

A exploração das pessoas é a mesma, visto que a Teleios também buscava benefício próprio, em detrimento de vidas humanas.

Power acompanha a história de um policial e um ex-soldado em uma jornada pela fonte por trás de uma perigosa pílula que oferece a pessoas normais poderes especiais temporários.

O filme foi elogiado por sua história criativa e sequências de ação, além de performances incríveis dos protagonistas. Desde sua estreia, Power se mantém entre os filmes mais assistidos da Netflix.

Power está disponível na Netflix.